Coluna

Bolso & Cia: PIS, 13º e nome limpo

01:00 · 15.06.2018

Em meio a um contingente de 63 milhões de inadimplentes no País, a liberação de recursos pelos governos darão sim um alívio aos que receberão esse dinheiro, para alguns, até inesperado, diante da liberação das cotas do PIS/Pasep para todas as idades. A prioridade deve ser quitar dívidas e retirar o nome da lista de negativados. Depois, se restar algum saldo, buscar equilibrar o orçamento. Para quem está sem dívidas é uma chance de poupar para realizar algum projeto ou sonho de consumo. Nada como deitar no travesseiro sem se preocupar com dívidas em atraso.

Portabilidade

A palavra não está com frequência inserida no dia a dia dos consumidores, mas pode significar a resolução de problemas e, sobretudo, a oportunidade de obter vantagens na relação de consumo. É possível fazer portabilidade, ou trocar de prestador de serviço, em várias situações: do contrato bancário, imobiliário, plano de saúde, conta corrente e operadora de telefonia. Analise cuidadosamente as condições e faça a opção.

37% de brasileiros

Vão efetuar gastos com lazer e compras no período da Copa do Mundo sem analisar ou planejar previamente o orçamento pessoal. O dado preocupante é do SPC. Entretanto, a maioria dos torcedores pretende pagar as despesas contraídas na época do Mundial de Futebol à vista, seja em dinheiro (68%) ou no cartão de débito (35%).

Saúde e o teto para reajuste

A liminar da Justiça Federal de São Paulo que determina um teto de 5,72% no reajuste dos planos de saúde individuais e familiares no País vem em boa medida na proteção do bolso do consumidor. Embora a Agência Nacional de Saúde (ANS) já tenha anunciado que irá recorrer da decisão, o percentual de aumento definido pela liminar considera a inflação medida pelo IPCA, referente a saúde e cuidados pessoais. Se for levada em conta a inflação setorial a alta superará os 10%.

"O planejador financeiro analisa o comportamento de cada cliente, assim como seus objetivos de vida, sonhos e dificuldades. Nem sempre o que é bom para um serve para o outro. É como um diagnóstico médico: cada pessoa demanda um remédio específico baseado em seu histórico."

Leanderson Reis
Mentor e coordenador da Academia de Planejamento Financeiro (Gfai)

O benefício de auxílio-doença

O segurado do INSS que comprove estar temporariamente incapaz para o trabalho tem direito ao benefício do auxílio-doença Mas é preciso comprovar, através de perícia médica, estar temporariamente incapaz para o trabalho em decorrência de doença ou acidente Caso o segurado não possa comparecer à perícia médica no dia e hora agendados, é possível solicitar a remarcação, uma única vez, até três dias antes da data agendada, pela Central 135 ou comparecendo diretamente à Agência da Previdência Social Em casos de internação hospitalar ou estar acamado, o prazo para remarcação é de sete dias antes ou até a data agendada, sendo necessário o comparecimento do representante legal à Agência do INSS.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.