Coluna

Bolso & Cia: empreender acima dos 50

01:00 · 30.03.2018

O tino empreendedor do brasileiro e, em especial do cearense, já é conhecido. A disseminação por perfil de faixa etária é um aspecto relevante a destacar. Há cada vez mais empreendedores acima dos 50 anos, com uma alta de 9% na última década. O fenômeno, portanto, não ocorre unicamente entre os mais jovens. Mais de um quarto (26%) dos novos empreendedores tinham entre 55 e 64 anos em 2015, segundo uma pesquisa da Kauffman Foundation. Há dez anos, só 3% deles no País tinham mais de 55 anos, hoje, já são 12%. O desemprego também impulsiona as estatísticas.

Empréstimos

O crédito pessoal via mobile é mais uma das áreas em que o smartphone entrou com força. Atualmente, seis em cada 10 pedidos de empréstimos online são feitos pelos celulares. O dado é da fintech Lendico. O serviço é mais um dos que são agregados nos smartphones, além de compras de produtos, corridas de táxi, ingressos de cinema, assinaturas de TV, delivery de restaurante e agora o financiamento pessoal, que só tende a avançar mais.

61% foi o crescimento

Das reservas online para viagens na Páscoa no País, em comparação com igual período do ano passado. A Worldpay projeta que mais pessoas viajarão no feriado deste ano ante 2017. No setor rodoviário, o turismo registra um aumento de 70% nas viagens, diz o Clickbus. Já o Ministério do Turismo estima 3,4 milhões de viagens domésticas.

Troca de marca na falta de dinheiro

O desemprego forçou 63% dos brasileiros a trocarem de marca na hora das compras e 68% adotaram uma maior pesquisa de preços. Além disso, 62% também passaram a ter uma atitude mais proativa na hora da compra, adotando a velha pechincha. As constatações são do SPC e da CNDL. O educador financeiro do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli afirma que, infelizmente, a mudança de hábitos só surge para alguns na hora do aperto. Ele destaca a necessidade de exercer o controle da vida financeira de forma natural, independentemente do tamanho da renda. "Quem se prepara para imprevistos, sofre menos em um momento como esse".

"As dívidas podem se tornar um pesadelo financeiro para quem está sem fonte de renda. Além de ver seu padrão de vida comprometido, o desempregado tem poucas opções para arcar com as despesas do mês, que vão se acumulando cada vez mais, causando desequilíbrio do orçamento e das finanças pessoais".

Marcela Kawauti
Economista-chefe do SPC Brasil

Para se destacar no mercado de trabalho 

A competitividade no mundo corporativo só se agiganta com o elevado nível de desemprego e as exigências das mudanças no âmbito tecnológico. Vão aí algumas dicas para se destacar ou pelo menos buscar uma oportunidade: Positividade O funcionário positivo direciona suas energias ao que é bom. Foque no trabalho Seja positivo, mas também comprometido Trace objetivos Defina seus objetivos, mas seja realista. Pratique a empatia Sempre busque entender os outros. Invista em você Para acompanhar o mercado, é preciso estar atualizado. Se engaje Colaboradores engajados são o sonho de qualquer companhia

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.