coluna

Bolso & Cia — Criança: antecipe o presente

01:00 · 22.09.2017

As datas comemorativas que rendem maior faturamento para o varejo são bastante aguardadas pelos lojistas. O consumidor, por sua vez, leva vantagem quando planeja suas aquisições e antecipa a compra. No Dia da Criança, por exemplo, que já se aproxima, além da indispensável pesquisa, para quem sabe que irá fazer alguma aquisição, adquirir logo o presente pode representar um preço melhor, além de não enfrentar grandes filas. Se o pagamento for à vista, busque potencializar o desconto, que agora já é, inclusive, previsto em lei.

13º salário

Entre março e julho deste ano, o Itaú Unibanco constatou crescimento de 26% nas operações de antecipação do 13º salário ante igual período do ano passado. A modalidade pode ser uma boa opção, mas só para quem está endividado e precisa se organizar. Como a linha de crédito possui garantia, sendo quitada automaticamente quando o dinheiro entra na conta do cliente, o risco é menor e as taxas podem ser mais atrativas.

12%

É o percentual

De inadimplência nos cheques emitidos pelos jovens de até 20 anos, "a geração da internet". Eles lideram os atrasos em julho. Entretanto, há um dado positivo: esse grupo conseguiu reduzir o patamar de inadimplência, que antes estava situado na casa dos 28%. No geral, a inadimplência com cheques caiu 0,22%.

Fluxo de shoppings está aumentando

Parece que está ficando mesmo para trás o pior da recessão. O segundo semestre trouxe mais ânimo para vários setores, incluindo os shopping centers. O movimento de pessoas nos centros de compras subiu 1,19% em agosto, comparado a igual mês de 2016. O dado é da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), em parceria com a FX Retail Analytics, especializada em monitoramento e fluxo para o varejo.

"As principais razões apontadas para não poupar refletem, de fato, o momento de crise econômica. O descuido com relação aos gastos, contudo, deve ser visto com atenção"

Marcela Kawauti
Economista-chefe do SPC Brasil

Cartão Reforma 

O programa Cartão Reforma está começando, mas por enquanto só serão atendidas comunidades atingidas por catástrofes naturais. Em breve, entretanto, o programa deverá englobar parte da população que precisava de moradia melhor, mas não consegue se enquadrar em outras políticas habitacionais. O governo federal promete disponibilizar até R$ 500 milhões para os que possuem renda de até R$ 1,8 mil. Cada família deverá receber um benefício médio de R$ 5 mil para aquisição de materiais de construção e pessoas com deficiência terão prioridade. O benefício, no entanto, é apenas para pagar os materiais. A mão de obra fica por conta do beneficiário, do município ou da comunidade. As regras do programa determinam que os estados e municípios farão a seleção dos beneficiários do cartão e fiscalizarão a obra.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.