Coluna

Bolso & Cia: a troca das milhas aéreas

01:00 · 04.05.2018

Os programas de milhagem das companhias aéreas sempre representaram uma forma de fidelização, mas também asseguravam com maior facilidade a oportunidade de uma nova possibilidade de viagem ao passageiro. Isso ainda ocorre. Entretanto, está cada vez mais difícil alcançar a pontuação que garante o uso das milhas para agendar o próximo voo. O volume exigido para acessar o novo bilhete aéreo é sempre maior. O uso parcial das milhas também ocorre, mas com uma pontuação menor e níveis elevados para captar o bilhete, na maior parte das vezes o passageiro só consegue abater suas milhas trocando por produtos. Ocorre ainda que há companhias que demoram a contabilizar a entrada dos pontos. Uma política nada interessante para os consumidores.

INSS: 6 mil a revisar

O governo federal está convocando 59.118 segurados que recebem o auxílio-doença para a revisão de benefícios por incapacidade do INSS. No Ceará, estão na lista 6.049 beneficiários. O nome dos convocados foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) da segunda-feira (30/04). Entre os motivos da chamada estão inconsistências no endereço e quem recebeu a carta, mas não agendou a perícia no prazo devido.

45% é o percentual

De consumidores que antes de contratar um empréstimo não analisam as taxas de juros. A conduta pode ser considerada, no mínimo, preocupante uma vez que a "armadilha" dos juros elevados passa a ser desconsiderada. O objetivo do empréstimo, para 29% dos entrevistados, é o pagamento total de dívidas, diz o SPC.

O valor da educação financeira

A educação financeira é uma ferramenta para a vida. A exemplo de qualquer processo educativo deveria ser implementada desde a infância. Seu conhecimento ajuda quem quer colocar as contas em dia e ter finanças saudáveis e sustentáveis. Não se trata de um conhecimento pessoal apenas, mas necessário no âmbito familiar e social, que aprimora a relação com o dinheiro, ajudando a usá-lo de forma mais responsável e também consciente.

"Muitos consumidores acreditam que o empréstimo é o único caminho que resta para sair do endividamento e limpar o nome; porém, as taxas de juros podem agravar ainda mais o problema. Em alguns casos, elas chegam a ser maiores até mesmo que aquelas cobradas pelo atraso no pagamento"

Marcela Kawauti

Economista-chefe do SPC Brasil

Alguns cuidados no uso do cartão de crédito

O limite do cartão de crédito não deve ultrapassar 50% do salário ou ganho mensal. Assim evita-se gastar mais do que se recebe; Ao fazer parcelas fixas, é preciso ter consciência que está comprometendo o orçamento mensal dos próximos meses. É imprescindível controlar os gastos; Evite o pagamento de anuidade do cartão. Hoje, é possível encontrar 'plásticos' que não cobram nenhuma taxa de manutenção. Nunca empreste o cartão de crédito a terceiros, mesmo conhecidos.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.