BNB faz ´força-tarefa´ para atender a 100 mil agricultores - Negócios - Diario do Nordeste

Horário ampliado

BNB faz ´força-tarefa´ para atender a 100 mil agricultores

27.04.2013

O objetivo da ação é orientar, no prazo de dez dias, os produtores rurais com dívidas por conta da estiagem

Cerca de 100 mil produtores rurais do Ceará inadimplentes estão enquadrados dentro das exigências para o programa de renegociação de dívidas do Banco do Nordeste (BNB), por meio das medidas de combate à estiagem, anunciadas pela presidente Dilma Rousseff, no início do mês, em Fortaleza. A instituição financeira anunciou ontem, que pretende zerar essa demanda por crédito e refinanciamento, aqui e em toda a sua área de atuação, até o dia 10 de maio. Com uma carteira de R$ 390 milhões disponíveis para crédito, o BNB iniciará uma "força-tarefa" a partir da próxima segunda-feira feira (29).

Agricultores inadimplentes: agências do BNB abrem duas horas mais cedo FOTO: CID BARBOSA

As medidas a serem tomadas consistem, principalmente, na ampliação em duas horas no horário de atendimento das agências, que passarão a funcionar mais cedo. Aquelas que abrem às 10 horas, abrirão às 8h, e aquelas que iniciam o atendimento às 9h, terão início às 7h.

Período

Esse horário estendido será realizado desta segunda até o dia 10 de maio. Além disso, os municípios onde for identificada forte demanda, os agentes do banco farão operações por meio de atendimentos itinerantes. Os municípios beneficiados, os locais, a data e a hora de atendimento serão divulgados até o fim da próxima terça-feira.

"Até esta data (dia 10 de maio), queremos eliminar o estoque de clientes a serem atendidos pelo Programa FNE Estiagem", afirmou o superintendente de Distribuição do BNB, Francisco José Morais.

"Dependendo da demanda, poderemos aumentar também esse prazo, caso seja necessário. Mas acreditamos que concluimos o objetivo nesse período", disse Morais.

O FNE Estiagem é voltado para produtores rurais que tiveram perdas com a seca, e oferece taxa de juros de 1%, ao ano, com prazo de pagamento de dez anos e até três anos de carência (ou seja, o financiamento só começará a ser pago em 2016). Para aderir ao programa, os agricultores não precisam apresentar garantias, apenas formalizar a adesão à linha de crédito por meio de assinatura.

O BNB já possuía R$ 2,4 bilhões autorizados para crédito através do programa e, destes, já aplicou R$ 2,36 bilhões, restando, portanto, R$ 40 milhões. Durante visita de Dilma Rousseff à Fortaleza, em que ela participou da reunião do Conselho Deliberativo da Sudene (Condel), a presidente anunciou mais R$ 350 milhões ao programa, somando, portanto, R$ 390 milhões que serão oferecidos até o dia 31 de maio. "Apesar de haver esse prazo, a presidente Dilma disse que todas as medidas continuarão enquanto houver a estiagem. Ou seja, este valor ainda pode aumentar", afirmou o superintendente de Recuperação de Crédito do BNB, Edilson Ferreira.

Critérios

Ontem, diretores do BNB apresentaram as condições para crédito e regularização das dívidas dos produtores.

No caso, por exemplo, de agricultores familiares dos municípios localizados em áreas de estiagem reconhecida, há a possibilidade de liquidar as operações contratadas até o dia 31 de dezembro de 2006, com descontos de 85%, no semiárido (isto é, eles só precisarão pagar 15% da dívida) e de 45% para os de fora do semiárido.

O prazo para o pagamento é até o fim de 2014. Já em relação a parcelamento das dívidas, eles poderão prorrogar as parcelas vencidas em 2012 ou vincendas em 2013 e 2014, com pagamento em até 10 anos, com primeira parcela em 2016.

Para prestações pagas em dia, o bônus é de 80%. As dívidas são atualizadas pelos encargos normais, sem multas ou sanções por inadimplemento. O prazo para formalização da renegociação é até o dia 30 de junho de 2014.

De julho de 2010 a abril deste ano, o banco já renegociou 370,2 mil operações, somando R$ 2,91 bilhões.

Estado é o 2º maior beneficiário do FNE

O Ceará foi o 2º maior beneficiado por meio do FNE Estiagem, criado no ano passado, tendo realizado 55.294 operações, somando R$ 457 milhões em crédito. O valor representa cerca de 20% do valor total (2,36 bilhões) contratado entre todos os estados onde o BNB atua, ficando atrás apenas da Bahia, com 67.249 operações e recursos de R$ 465,7 milhões. Já foram renegociados no Ceará, de julho de 2010 a abril de 2013, dívidas que somam R$ 395,9 milhões, por meio de 48,1 mil operações.

Apesar da situação de estiagem, os financiamentos do BNB no setor produtivo registraram incremento no período de janeiro a 26 de abril deste ano, em relação a igual intervalo de 2012. As aplicações globais somaram R$ 4,97 bilhões, um crescimento de 10,5% sobre o ano passado. Deste total, teve destaque o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que subiu de R$ 1,74 bilhões para R$ 2,67 bilhões, aumento de 53,2%.

Do FNE, a maior parte do crédito foi para o setor industrial, com 25% do total, seguido de comércio e serviços (22%).

Outros estados

A 3ª posição no ranking é de Pernambuco, com 50.855 operações e R$ 413 milhões. O vizinho Piauí está em 4º, com R$ 254 milhões concedidos em 39.357 operações. A 5ª posição ficou com a Paraíba, com 31.925 concessões e R$ 193 milhões. A última colocação foi do Espírito Santo, com apenas 99 empréstimos, somando R$ 2,19 milhões. Minas Gerais, Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe também foram beneficiados.

SÉRGIO DE SOUSA
REPÓRTER

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999