avanço do dólar

BC faz leilão extra de US$ 1,5 bilhão

01:00 · 31.08.2018

Brasília. Com o avanço do dólar comercial frente ao real ontem (30), o Banco Central (BC) anunciou o leilão de US$ 1,5 bilhão em contratos de swap cambial - equivalente à venda de dólares no mercado futuro - para tentar conter a alta da moeda norte-americana.

Leia mais:
 
> Dólar turismo vai a R$ 4,35 na Capital; euro chega a R$ 5,10 
> Ceasa pode ter fim de ano mais caro com alta no câmbio
 
Ao todo, foram fechados cerca de 34,3 mil contratos de swap nos leilões promovidos pelo Banco Central, segundo informações da própria autarquia. Mesmo com a atuação do BC, o dólar continuou em alta na comparação com o dia anterior, quando encerrou o pregão a R$ 4,114. Ontem, o dólar comercial chegou a bater R$ 4,20, mas após a atuação do Banco Central, fechou cotado a R$ 4,14.

Na última quarta-feira (28), dia em que a moeda norte-americana fechou no segundo maior nível desde a criação do real, o BC já havia anunciado a venda de US$ 2,15 bilhões das reservas internacionais do Brasil com compromisso de recomprá-las mais adiante.

Entenda os swaps

Por meio das operações de swap cambial, o Banco Central vende dólares no mercado futuro, mas sem transferir o recurso de fato, aliviando a pressão sobre o real.

Ao fim do contrato, o Banco Central garante ao investidor o pagamento da variação do dólar no período, e o investidor restitui a variação da taxa de juros no período. Se a taxa de juros for superior, o investidor embolsa os rendimentos.

Se a moeda americana subir mais que os juros no período, o BC ganha num primeiro momento, mas troca de rendimentos com os investidores e sai perdendo no fim das contas.

Esse contrato faz com que os investidores diminuam o interesse na compra da moeda norte-americana e com que seu valor frente ao real seja reduzido no mercado de câmbio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.