BOLSA SOBE

Banco Central atua forte, e dólar recua para R$ 3,71

01:00 · 13.06.2018 / atualizado às 01:19
Image-0-Artigo-2413251-1
Nas casas de câmbio de Fortaleza, o dólar à vista variou entre R$ 3,89 e R$ 3,92. Já a moeda no cartão pré-pago chegou a ser vendida por R$ 4,16

Fortaleza/São Paulo. O Banco Central (BC) injetou mais US$ 3,7 bilhões no mercado de câmbio nessa terça-feira (12), contribuindo para uma leve queda do dólar ante o real. Na cotação comercial, a moeda cedeu 0,45%, fechando a R$ 3,711. Já na cotação à vista, que fecha mais cedo, o recuo foi de 0,10%, a R$ 3,6939.

 Com câmbio alto, GM eleva preços

Nas casas de câmbio de Fortaleza, o dólar à vista chegou a R$ 3,89, na Boa Vista Câmbio. De acordo com o site www.melhorcambio.com, a moeda à vista em Fortaleza era vendida, ontem, por R$ 3,92 na Confidence Câmbio, Monde Câmbio e La Moneta Câmbio. No cartão pré-pago, o dólar variava entre R$ 4,12 (Confidence Câmbio) e R$ 4,16 (La Moneta Câmbio).

Nessa terça-feira, o Banco Central inicialmente só sinalizou um leilão extra de swap, de US$ 1,5 bilhão. Com isso, o mercado ficou estressado, pois esperava mais dinheiro "novo" no câmbio e o dólar bateu máximas, chegando a R$ 3,73. Logo depois, por volta do meio-dia, o BC anunciou um segundo leilão extra, levando a moeda a bater mínimas. O BC tem ainda cerca de US$ 12 bilhões para colocar até sexta-feira (15), dentro do programa de US$ 20 bilhões de swaps adicionais prometidos por Ilan Goldfajn na semana passada, além de US$ 2,15 bilhões dos lotes de 15 mil contratos já previstos desde maio.

Estes volumes que o BC ainda tem para colocar esta semana podem amenizar algum estresse causado pelo resultado da reunião do Fed (Banco Central dos Estados Unidos), marcada para hoje. O Fed sobre a nova taxa de juros do país. Para além do anúncio de uma alta, analistas esperam uma indicação sobre os próximos aumentos, que poderiam trazer volatilidade adicional ao mercado de câmbio.

Bovespa

A Bolsa brasileira voltou a fechar no positivo nessa terça-feira após cinco sessões consecutivas de queda. O Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, ganhou 0,62%, a 72.754 pontos. Durante o pregão, chegou a registrar alta de mais de 1% e também queda. O giro financeiro somou R$ 9,79 bilhões.

O índice vem sendo pressionado pelas projeções piores para a economia brasileira neste ano, com reflexo direto sobre ações de bancos e de companhias ligadas a consumo.

O destaque positivo, no entanto, foi a alta nos papéis da Embraer, que saltaram 6,12%, para R$ 24,78.

Citando fontes que preferiram não se identificar, a agência de notícias Bloomberg disse que a companhia está perto de fechar um acordo com a Boeing. Os termos do negócio já teriam sido submetidos ao presidente Michel Temer (MDB), visto que a Embraer é controlada pelo governo brasileiro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.