NA REGIÃO

Avanço do turismo passa por desenvolvimento social

01:00 · 15.03.2018
Image-0-Artigo-2374883-1
O ex-secretário Paulo Gaudenzi ministrou, ontem, palestra no Sistema Fecomércio ( Foto: Reinaldo Jorge )

O desenvolvimento do turismo passa pelos moradores da região. A afirmação foi dada ontem pelo ex-secretário de Turismo da Bahia, Paulo Gaudenzi. Ele esteve em Fortaleza como principal atração do Ciclo de Palestras do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) do Sistema Fecomércio/CE.

Conforme Gaudenzi, o planejamento é a chave para o sucesso no segmento. "Os pressupostos desse planejamento têm relação com as pessoas, os habitantes e essa relação com os turistas, viajantes", disse.

Para o ex-secretário de Turismo da Bahia, o cenário exige que o setor privado tome seu lugar e assuma responsabilidades. "Enxergo o futuro com uma mudança grande, onde o papel do governo tem que mudar e os empresários têm que assumir uma série de coisas. E essas coisas seriam as associações de destinos, que em alguns lugares chamam de convention bureau".

Bom momento

Gaudenzi apontou que o Estado do Ceará vive um momento ímpar no setor turístico.

"O grande pulo do Ceará veio com o planejamento, com a coisa fundamental para qualquer negócio, que é a definição política, o pensamento definitório de que o turismo é um fator importante para o Ceará", afirmou o especialista.

"O Ceará cresceu muito e continua crescendo, e não tenho nenhuma dúvida, está se transformando, em parte, na 'Flórida brasileira'. O turismo no Ceará vai muito bem, e está fazendo muito bem ao Brasil", destacou.

Outro ponto enfatizado pelo palestrante foi a necessidade de manutenção das ações. "A infraestrutura tem que estar sempre aumentando. À medida que aumenta, beneficia a população. E o turista não é nada mais que um habitante", pontuou.

Violência

A crise na segurança pública, problema mundial, segundo Gaudenzi, não deve ser encarada como fator que possa afastar os visitantes do Ceará, na opinião do ex-secretário baiano.

"(A violência) é um problema no mundo todo. A maioria das pessoas não deixa de viajar por isso. Se fosse assim, não teria turismo em Israel. Você vê, aqueles episódios em Paris, naquela boate, em Nice", ponderou.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.