Latam

Aporte de US$ 50 mi em peças de manutenção

O executivo da Latam afirmou que as peças que "alimentam" os aviões da companhia vêm dos Estados Unidos e da Europa
01:00 · 05.07.2018 / atualizado às 01:14

O acordo entre a Latam Airlines e o Governo do Estado também possibilita o investimento de US$ 50 milhões para o segmento de peças de manutenção de aeronaves. Uma das novidades dessa parceria diz respeito ao potencial de aporte em manutenção de aeronaves. De acordo com Cadier, Fortaleza deverá a partir deste momento ser responsável por distribuir as peças dos equipamentos para todo o País.

> Fortaleza passa a ser 3ª maior base da Latam no Brasil; 40 voos diários 

"O principal desse acordo é imaginar que nós estamos repensando o nosso fluxo de peças de manutenção. São mais de US$ 50 milhões de dólares de investimento que a gente vai trazer a partir de Fortaleza e distribuir para o resto do País. Essa parceria vai muito além de aumentar voos por questão de ICMS, mas também a geração de emprego e movimento na economia", afirmou o executivo durante cerimônia, ontem (4), no Palácio da Abolição, em Fortaleza.

Segundo ele, a maioria das peças vem dos Estados Unidos e da Europa e que "alimentam" os aviões da Latam que voam por todo o Brasil.

"As peças acabam sendo trazidas para Guarulhos e são distribuídas para o restante do País. A gente quer fazer isso a partir de Fortaleza. Naturalmente pela quantidade de aviões você tem muita manutenção e um estoque diluído. Nós vamos aproveitar o espaço de carga que existe dentro dos nossos aviões para distribuir a partir da Capital cearense", completou.

Cadier espera aumentar de forma bastante relevante o volume de peças de manutenção de aeronaves no Aeroporto Pinto Martins. "São pelo menos 50 milhões de peças por ano e nós vamos fazer isso a partir daqui", reforçou o executivo.

Concorrência

A partir deste mês de julho, a Latam se iguala a Gol Linhas Aéreas na quantidade de movimentos diárias. Ao todo serão 40 voos (pousos mais decolagens) diariamente de/para Fortaleza. Segundo a companhia, neste primeiro momento, além do acréscimo doméstico, houve ainda inserção de mais voos internacionais para Miami e Orlando. São três frequências semanais para a primeira cidade e outras duas frequências para o segundo destino na Flórida.

"O mercado aéreo no Brasil é super dinâmico com uma concorrência bastante acirrada que não é de hoje. Eu acho que a gente vê decisões nossas e da Gol que refletem o ambiente econômico aqui do Estado e da cidade que é uma oportunidade para operações novas. Tem que ter opção, passageiro tem que ter mais opções e que o melhor se estabeleça", afirmou ele.

Até o fim do ano, além das operações para os Estados Unidos da Latam, a Gol vai operar voos diários para Miami e Orlando, acirrando, dessa forma, a briga pela maior fatia de mercado de/para a América do Norte.

"Por enquanto são os dois destinos. Agora é fazer com que esses destinos tenham uma boa demanda. A gente ainda tem um trabalho para fazer para garantir que esses dois voos operem bem", disse o executivo.

Novos destinos

Sobre os novos voos internacionais para outros destinos nos Estados Unidos e na Europa, Cadier disse apenas que não é o momento propício para tais operações. "Por enquanto não tem mais nenhum destino confirmado. Tem uma lista de destinos que eu gostaria de poder anunciar à medida que a gente faz esse hub se consolidar".

O executivo disse ainda que a empresa monitora constantemente as movimentações da economia e seus desdobramentos para o mercado aéreo para tomar decisões mais firmes para a abertura de novos voos internacionais. "Depois depende muito da situação da economia e para onde o poder aquisitivo vai fazer o passageiro querer viajar. Se é um terceiro destino na América do Norte ou se um destino na Europa. A gente monitora muito isso, mas essa lista muda constantemente. E não tem nenhuma lista hoje", enfatizou.

A partir do início das novas operações, a companhia terá isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) sobre o QAV (Querosene de Aviação), e também sobre importação de peças de manutenção e de aeronaves, transporte doméstico de cargas e alimentos e provisões de bordo. Em contrapartida, a Latam se compromete a ampliar o seu volume total de voos domésticos e internacionais no Aeroporto de Fortaleza.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.