COMÉRCIO BRASILEIRO

60 mi pretendem comprar na Copa; injeção de R$ 20 bi

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL mostra que a maioria dos consumidores vai gastar com comidas e bebidas

Os supermercados são os locais preferidos para a compras de itens relacionados ao evento esportivo. Em seguida, vêm as lojas de rua ( FOTO: ÉRIKA FONSECA )
01:00 · 14.06.2018

A Copa do Mundo de Futebol 2018 começa hoje e deve ajudar a animar o comércio brasileiro. Para acompanhar o evento, que ocorre na Rússia, 60 milhões de consumidores do Brasil pretendem realizar algum gasto. O dado corresponde a 51% dos consumidores que acompanharão aos jogos do campeonato. Com isso, cerca de R$ 20,3 bilhões devem ser movimentados no comércio e no setor de serviços do Brasil. A estimativa faz parte de uma pesquisa divulgada, ontem, pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

> Faturamento nos bares e restaurantes até 30% maior

Conforme o estudo, a maior parte dos torcedores deve gastar com o consumo de alimentos e de bebidas para acompanhar as partidas na casa de parentes e de amigos. No caso das comidas, os tira-gostos (56%), itens para churrasco (49%), pipocas (37%) e salgados (31%) lideram a intenção de compras. Já para as bebidas, a preferência é por cerveja (74%), refrigerantes (72%) e água (69%).

As idas a bares e restaurantes também devem fazer o consumidor brasileiro gastar mais durante a Copa do Mundo. O estudo mostra que os desembolsos serão feitos em idas a bares e restaurantes para assistir as transmissões dos jogos (62%), compras de camisetas, uniformes e itens da seleção (61%), decoração verde e amarela (54%) e compra de acessórios, como bonés, maquiagem, cornetas e vuvuzelas (48%).

Há ainda, segundo a pesquisa, 46% de consumidores que vão participar de bolões, 38% que irão adquirir serviços de dados de internet para smartphone e 21% que compraram ou planejam adquirir uma TV nova para assistir as partidas.

Os locais de compras que mais devem ser frequentados para aquisição dos produtos ligados à Copa são supermercados (68%) e lojas de rua (35%).

"Para comércio e serviços, a Copa vai além da competição em campo. É um ótimo momento para incrementar as vendas de artigos de vestuário, eletroeletrônicos, alimentos, bebidas, decoração, entre outros itens, sobretudo em um momento de tímida recuperação econômica como o atual. Mesmo quem não acompanha futebol no dia a dia acaba se contagiando com a atmosfera da Copa", analisa o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Gasto médio

Para os torcedores que vão se reunir na própria casa (81%) ou na casa de amigos e parentes (44%) para assistir aos jogos da Copa, a média de gasto por encontro gira em torno de R$ 119. Entre os que pretendem ir a bares ou restaurantes (22%), a média aumenta para R$ 128.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.