300 anos DA PADROEIRA

Vaia a políticos e mensagem papal marcam celebração

Cerca de 200 mil pessoas acompanharam o ato no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

Autoridades, como o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) foram vaiados pelo público presente. Antes, houve exibição de vídeo gravado pelo papa ( Foto: AE )
00:00 · 13.10.2017
Que celebraram os três séculos desde a descoberta, por pescadores de uma imagem de Maria, mãe de Jesus, no rio Paraíba, com feições negras. A história foi exaltada ontem em Aparecida (SP), cidade que foi batizada em homenagem à santa católica ( Fotos: Ag. Brasil )

Aparecida/Brasília. A principal celebração em comemoração aos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida começou às 9h30 de ontem, em altar montado do lado de fora da basílica nacional, na cidade de Aparecida do Norte, interior do Estado. O cantor Agnaldo Rayol se apresentou durante a procissão de entrada que levou uma imagem de Nossa Senhora ao altar. Cerca de 200 mil pessoas acompanharam a celebração, segundo a assessoria do santuário.

A missa campal começou com uma mensagem em vídeo enviada pelo papa Francisco, que lamentou não ter estado no santuário ontem e afirmou estar com "saudades, saudades do Brasil".

"Nossa Senhora Aparecida foi encontrada por trabalhadores pobres: hoje abençoa todos, especialmente aqueles que procuram um trabalho", disse o pontífice na rede social.

Em audiência realizada na Praça São Pedro, no Vaticano, na quarta-feira (11), o papa já tinha lido uma mensagem para os fiéis e homenageado Nossa Senhora Aparecida.

Na segunda-feira (9), Francisco enviou uma rosa de ouro ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida para homenagear a Padroeira do Brasil, trazida do Vaticano pelo cardeal italiano Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos, representante do líder da Igreja Católica em Aparecida.

Assim que o vídeo terminou, foram anunciadas as autoridades presentes: o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB) e os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia e Inovações), do PSDB e PSD, respectivamente. Todos foram vaiados pelo público presente. O prefeito da capital, João Doria, está na Itália em viagem oficial, de onde criticou as vaias a Alckmin, e o vice, Bruno Covas, foi para Paris. Em função do calor, houve registros de fiéis passando mal e sendo retirados da multidão pelos bombeiros.

'Dias melhores'

Ausente nas celebrações da padroeira do Brasil o presidente Michel Temer divulgou nas redes sociais um vídeo no qual, além de narrar parte da história da santa, diz rogar a Deus por dias melhores. "Olhemos para o futuro com fé e esperança; façamos nossa parte. Logo virão resultados de paz e progresso para todo o povo brasileiro", diz o presidente. "Eu e minha família nos unimos aos romeiros, aos devotos e devotas de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogando a Deus por dias melhoras para todas as famílias do Brasil", completou. A ausência do presidente foi notada.

"Se eu fosse presidente do Brasil, eu viria, não é?", disse o reitor do Santuário Nacional, padre João Batista, a jornalistas, após a missa campal. "Eu acho que é uma questão até de assessoria. Vai ver os assessores não atentaram pra isso. Olha, é a padroeira do Brasil. É algo importante. Mas a gente respeita", afirmou.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.