Presídio em Belém

Tentativa de fuga deixa 23 mortos no Pará

00:00 · 11.04.2018

Belém. Ao menos 23 pessoas morreram na tarde de ontem (10) durante uma tentativa de fuga do Centro Penitenciário de Recuperação do Pará, no Complexo de Santa Izabel do Pará, na região metropolitana de Belém, segundo o governo do estado.

Até o final da tarde, tinham sido confirmadas 22 mortes de presos e criminosos que tentavam fazer o resgate de detentos, além de um agente prisional. Outros quatro agentes ficaram feridos, de acordo com a Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará).

Segundo o órgão, a ação foi realizada de maneira coordenada. Um grupo de presos iniciou um motim dentro do presídio, enquanto criminosos do lado de fora tentavam uma invasão para fazer o resgate de detentos do complexo, que fica às margens da rodovia BR-316.

Seis agentes prisionais foram feitos reféns, o que resultou em um confronto entre os criminosos e policiais que faziam a segurança interna do presídio.

Informações preliminares da Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social), durante a tentativa de fuga a investida externa utilizou explosivos contra um dos muros do pavilhão C do presídio.

A identidade do agente prisional morto durante a troca de tiros não foi informada. Outros quatro agentes de segurança ficaram feridos, sendo que um está em estado grave e recebe atendimento em hospital da região metropolitana de Belém.

No início da noite de ontem, o governo do estado ainda trabalhava na identificação e contagem das vítimas. Somente após essa ação será possível saber quantos dos mortos estavam presos no complexo e quantos faziam parte do grupo que tentou realizar o resgate.

PMs assassinados

Este início de semana na Grande Belém tem sido marcado pela violência. Doze pessoas foram assassinadas em um intervalo de cinco horas. As mortes ocorrem na sequência de dois assassinatos de PMs, um pela manhã da segunda e outro, na noite de domingo. Ambos estavam de folga. Com as mortes, sobe para 16 o número de policiais assassinados em Belém e na região metropolitana desde o início do ano.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.