Esplanada

Temer empossa novos ministros

00:00 · 11.04.2018

Brasília. Ao dar posse a novos ministros, o presidente Michel Temer disse que fez as mudanças na Esplanada sem interromper as atividades do governo.

"Nós não interrompemos a administração. Nós praticamente, ao escolhermos o ministério, nós mantivemos a mesma composição político-partidária congressual". Em cerimônia no Palácio do Planalto, ontem (10), Temer oficializou a substituição de 10 de seus 29 ministros. As mudanças ocorrem devido ao calendário eleitoral, que exige que aqueles que vão concorrer ao pleito em outubro deixem seus cargos com seis meses de antecedência.

Entre as principais mudanças está a da equipe econômica, após a saída de Meirelles, da Fazenda, e de Dyogo Oliveira, do Planejamento. Eles foram substituídos, respectivamente, pelos secretários-executivos das pastas, Eduardo Guardia e Esteves Colnago. Outra substituição feita por Temer na Esplanada foi em Minas e Energia. No lugar de Fernando Bezerra Coelho Filho ficará Moreira Franco, um dos principais aliados do presidente. Ele deixa a Secretaria-Geral para assumir o comando do setor de energia. O governo justifica a troca ao dizer que quer um nome de confiança à frente da pasta para conduzir o processo de privatização da Eletrobras, que enfrenta dificuldades de aprovação no Congresso.

A transferência de Moreira, contudo, é vista como uma garantia de foro especial para o ministro, alvo de denúncia na Operação Lava-Jato.

Eis os novos ministros: Rossieli Soares da Silva, ministro de Estado da Educação; Alberto Beltrame, ministro de Estado do Desenvolvimento Social; Marcos Jorge, ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Wellington Moreira Franco, ministro de Estado de Minas e Energia; Esteves Colnago, ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Vinicius Lummertz, ministro de Estado do Turismo, Antônio de Pádua de Deus, ministro de Estado da Integração Nacional, Leandro Cruz Fróes da Silva, ministro de Estado do Ministério do Esporte, Helton Yomura, ministro de Estado do Trabalho.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.