Tasso assume presidência interina do PSDB

Em um de seus primeiros atos, senador pediu que ministros permaneçam no governo ( Foto: Edilson Rodrigues )
00:00 · 19.05.2017 / atualizado às 01:48

Brasília/Fortaleza. Tão logo foi anunciado no cargo, o presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati (CE), pediu, por meio de nota, que os ministros do partido permaneçam em seus cargos no governo Temer.

"Mantendo sua responsabilidade com o País, que enfrenta uma crise econômica sem precedentes, o PSDB pediu aos seus quatro ministros que permaneçam em seus respectivos cargos, enquanto o partido, assim como o Brasil, aguarda a divulgação do conteúdo das gravações dos executivos da JBS", diz a nota.

Tasso assumiu a presidência do PSDB após a saída de Aécio Neves (MG), ontem. O senador deixou o cargo com o agravamento das investigações da Lava-Jato. Os donos do frigorífico da JBS divulgaram para a Polícia Federal áudio em que Aécio pede propina de R$ 2 milhões.

.Tasso assume presidência interina do PSDB

.PSDB racha sobre permanência

.FHC sugere renúncia de Temer e Aécio

.Políticos especulam sobre eventual sucessão

.Fachin manda abrir novo inquérito contra Eunício

.JBS terá de pagar R$ 250 milhões

.Presidente já tem contra si 8 pedidos

.Diálogo entre presidente e empresário é inconclusivo

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, um dos quatro tucanos do ministério, divulgou nota, ontem, informando que permanece no governo federal "pedido do seu partido, o PSDB".

O afastamento do senador era previsto e a bancada do partido na Câmara chegou a anunciar, mais cedo, que o deputado Carlos Sampaio (SP) ocupará o cargo interinamente.

"Depois de ouvir inúmeros companheiros e seguindo o que determina o nosso Estatuto, estou apresentando à Executiva o nome do senador Tasso Jereissati, do PSDB do Ceará, para assumir nessa interinidade a presidência do partido", escreveu.

Aécio disse estar certo de que as investigações mostrarão "correção" dos atos deles e dos familiares deles. "Me dedicarei diuturnamente a provar a minha inocência e de meus familiares para resgatar a honra e a dignidade que construí ao longo de meus mais de trinta anos de vida dedicada à política", diz a nota.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.