Em Salvador

Prédio desaba e mata 4 pessoas

00:00 · 14.03.2018
Image-0-Artigo-2374195-1
Edifício desmoronou em Pituaçu, na capital baiana. Uma criança de 10 anos estava entre os mortos ( Foto: Folhapress )

Salvador. O desabamento de um prédio de três andares, ontem, na periferia de Salvador, matou quatro pessoas da mesma família -entre elas, um bebê.

O prédio, que fica no bairro de Pituaçu, caiu por volta das 6h. A construção é recente, não tem alvará e foi erguida em uma área de invasão. Morreram Robert Pereira, 12, o irmão Arthur, de um ano, a mãe das crianças, Rosemeire Pereira, 33, e o irmão dela, Alan Pereira, 31.

Com o resgate do corpo de Rosemeire, última a ser retirada dos escombros, as buscas às vítimas foram encerradas no início da tarde de ontem. Havia sete pessoas no imóvel. As vítimas estavam em um quarto, que tem um porão, térreo, primeiro andar e a laje. Havia duas lajes sobre os soterrados. Durante o resgate, não foi possível usar maquinário pesado. Marretas e equipamentos manuais abriram passagem entre os escombros para a localização das vítimas.

Outras três pessoas dormiam na laje do imóvel e conseguiram escapar do acidente. Elas sofreram ferimentos leves porque foram atingidas por pedaços de telhas. A hipótese dos bombeiros é que o terreno possa ter se movimentado e provocado o colapso da estrutura do prédio, também devido às fortes chuvas que caíram na capital baiana.

Resgate

Moradores da região auxiliaram os bombeiros e os técnicos da Defesa Civil no resgate às vítimas. Um deles foi o entregador Luciano dos Santos, 39. Ele acordou com o barulho. "Cheguei a cortar o pé e levar um choque andando sobre os escombros".

O diretor geral da Defesa Civil de Salvador, Sósthenes Macêdo, afirmou que a rua onde ocorreu o desabamento não está entre as 600 áreas de risco na capital baiana. Ele liga a ocorrência ao risco de construção, quando o imóvel é erguido sem seguir as normas de segurança da engenharia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.