concessão de entrevista

Petistas criticam veto a entrevistas

00:00 · 13.07.2018
Image-0-Artigo-2426215-1
Presidente nacional do PT disse que ao traficante Marcinho VP foi permitido dar entrevista ( Foto: Agência Senado )

Brasília. Após a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmar que "até Marcinho VP, traficante, deu entrevistas" ao defender que o ex-presidente Lula possa conceder entrevistas na prisão, o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), reforçou o comentário da dirigente petista, um dia após a juíza Carolina Lebbos ter proibido atos de campanha por Lula.

Juiz do DF absolve Lula no caso de Delcídio

Nas redes sociais, adversários reagiram à declaração com ironia. Após a repercussão, Gleisi fez uma nova publicação comparando, desta vez, Lula com o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela. No Twitter, Farias escreveu que Lula, como "preso político", poderia dar entrevistas, como fizeram "condenados por tráfico e assassinato".

"Quem não lembra das entrevistas de Suzane von Richtofen, Marcola, Nem, Marcinho VP? Mas Lula, preso injustamente após um processo pífio, cheio de irregularidades, sem uma única prova que justificasse sua condenação, não pode falar. O nome disso é arbítrio, é golpe!", escreveu o parlamentar, ao compartilhar entrevistas dadas por Suzane von Richtofen e Marcinho VP a veículos de comunicação. O assunto "Marcinho VP", com a repercussão dos comentários de Gleisi, ficou entre os assuntos mais comentados por internautas brasileiros no Twitter.

Já Lula reclamou a ex-ministros que está sendo silenciado. "Eles não apenas querem me manter preso, querem me calar, impedir que o povo ouça o que eu falo", Lula teria dito aos ex-ministros Franklin Martins (Comunicação) e Celso Amorim (Itamaraty), que visitaram o petista, ontem, na sede da PF, em Curitiba.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.