pedido negado

Velloso recusa convite de Temer para o Ministério da Justiça

Caso assumisse a Pasta, o ex-ministro do STF teria que deixar de atuar como advogado, seguindo o Estatuto da Advocacia

Na quinta-feira (16), o ex-ministro Carlos Velloso disse ao presidente Michel Temer que estava “tentando afastar questões pertinentes a contratos” ( Foto: Agência Brasil )
16:15 · 17.02.2017 / atualizado às 16:25 por Estadão Conteúdo

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso recusou nesta sexta-feira (17) o convite do presidente da República, Michel Temer, para comandar o Ministério da Justiça. Ele havia sido escolhido para ocupar o cargo deixado por Alexandre de Moraes, indicado para ocupar uma cadeira na Corte.

Na noite de quinta-feira (16), ele havia dito ao jornal O Estado de S. Paulo que aguardava a resposta de clientes de seu escritório de advocacia para dar uma resposta ao presidente sobre o convite. Segundo ele, para que não houvesse conflito de interesse. Caso assumisse o Ministério da Justiça, Velloso teria de deixar de atuar como advogado, seguindo o Estatuto da Advocacia. "Eu quero servir o meu país", disse Velloso na ocasião.

Segundo Velloso, ele havia transmitido a Temer, às 21h30 da quinta, que estava "tentando afastar questões pertinentes a contratos" que exigiam a participação direta dele para dar a resposta definitiva ao presidente. A questão foi encaminhada para ser avaliada pelo setor de compliance da multinacional. 

De acordo com o ex-presidente do STF, o prazo limite combinado com Temer para a decisão era justamente esta sexta-feira.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.