indicações

Meirelles apresenta a Temer nomes para sucedê-lo no Ministério da Fazenda

Os nomes são sugestões, caso Henrique Meirelles decida disputar as eleições presidenciais

Meirelles vive uma decisão quanto à sua candidatura, pois depende da posição de Michel Temer ( Foto: Wilson Dias/Agência Brasil )
22:00 · 13.03.2018 por Folhapress

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou no domingo (11) ao presidente Michel Temer os nomes de seus secretários Mansueto Almeida (Acompanhamento Fiscal) e Eduardo Guardia (Executivo) para sucedê-lo na pasta caso decida disputar o Palácio do Planalto.

Como a Folha de S.Paulo revelou na semana passada, Temer já havia sinalizado ao ministro que ambos articulariam juntos sua eventual substituição, mas essa foi a primeira vez que houve um debate concreto sobre assunto, durante reunião no Palácio do Jaburu.

O movimento mais assertivo de Meirelles, porém, não define a sua candidatura — o presidente não garantiu que o ministro poderá concorrer à sua sucessão pelo MDB e a decisão do chefe da equipe econômica sobre disputar ou não a eleição de outubro deve ser tomada ao longo dos próximos 15 dias.

O ministro vive um dilema provocado pela indefinição em relação às pretensões do próprio presidente.

Meirelles tem medo de deixar o cargo para viajar pelo país numa tentativa de aumentar os seus números nas pesquisas — hoje ele aparece com apenas 2% — e, em julho, Temer decidir que ele mesmo vai ser candidato à reeleição.

Essa jogada inviabilizaria o projeto eleitoral de Meirelles e o deixaria em uma espécie de limbo político: estaria fora do governo e filiado a uma sigla que não deu sustentação para a sua candidatura.

Com o calendário mais flexível — ao contrário do ministro, o presidente não precisa deixar o cargo até abril se quiser se candidatar —, Temer foi evasivo em suas análises sobre as eleições e ainda ponderou que o ministro Dyogo Oliveira (Planejamento) também aparece entre os cotados para a Fazenda, com o apoio do presidente do MDB e líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR).

Apesar disso, auxiliares afirmam que o presidente vai permitir que Meirelles escolha seu substituto caso deixe o posto para concorrer ao Planalto.

Reunião

Meirelles deve marcar um encontro com Jucá ainda esta semana para sentir a temperatura da indicação e discutir a sua possível filiação ao MDB.

O ministro disse a Temer e ao ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral), que também estava na reunião de domingo (11), que seu desejo é ser o candidato do partido à Presidência mas ouviu, mais uma vez, que eles não podem garantir a vaga de antemão neste momento.

Meirelles está conversando com seus auxiliares próximos antes de bater o martelo sobre sua candidatura. Ele já disse que tem disposição de defender o legado do presidente Michel Temer e ser o nome do governo na disputa, mas esbarrou no desejo do próprio presidente de ser esse candidato.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.