Envolvimento negado

Maggi diz que denúncia da PGR é caso requentado

As acusações estão relacionadas a uma suposta participação em esquema de compra e venda de vagas no Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Mato Grosso em 2009

22:30 · 04.05.2018 por Folhapress
Blairo Maggi
Maggi disse que o assunto foi "requentado", "sem novas provas, sem nada" ( Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil )

Denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) sob a acusação de corrupção ativa, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), disse ter sido pego de surpresa pela denúncia. Ele negou envolvimento com o caso.

As acusações estão relacionadas a uma suposta participação em esquema de compra e venda de vagas no Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Mato Grosso em 2009, quando era governador.

"Sim [pego de surpresa], porque é um fato inclusive já enterrado. Ele veio em 2014, aí em 2016 houve o arquivamento, inclusive foi o motivo de eu ter ido para o ministério, porque se não tivesse tido esse arquivamento, eu nem teria ido", afirmou nesta sexta-feira (4) em Ribeirão Preto.

Maggi disse que o assunto foi "requentado", "sem novas provas, sem nada". "Posso dizer com toda tranquilidade que não pratiquei o que lá está dito, agora o Ministério Público tem o direito, pode fazer as ilações que quiser fazer e eu vou me defender. Estou absolutamente tranquilo".

No pedido enviado ao STF, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requer a perda da função pública do ministro -que tem mandato de senador- e a reparação de dano patrimonial no valor de R$ 4 milhões.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.