Tentará cursar História

Juiz desmarca audiência para Cabral fazer Enem

As audiências estavam previstas para os dias 12 e 13 deste mês, dias em que serão aplicadas as provas dos Exame às pessoas privadas de liberdade

Para três dias de estudo no curso, Cabral tem remissão de um dia de pena ( Foto: Divulgação )
18:25 · 07.12.2017 por Estadão Conteúdo
O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), pediu, nesta quinta-feira (7), que as audiências previstas para os próximos dias 12 e 13 sejam desmarcadas para ele poder fazer o Enem. O pedido foi aceito pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. De acordo com o advogado de Cabral, Rodrigo Roca, o ex-governador deverá tentar o curso de História.
 
Ainda segundo o advogado, para três dias de estudo no curso, ele tem remissão de um dia de pena. A mulher de Cabral, Adriana Ancelmo, também já fez o mesmo pedido. 
 
No fim da audiência desta quinta, Cabral também brincou com Bretas sobre a derrota do Flamengo (time do juiz) para o Independiente, time argentino. Bretas rebateu dizendo que sabia que o ex-governador era vascaíno e citou as festas feitas no morro próximo a Benfica, na zona norte do Rio, onde fica a cadeia em que Cabral está preso.
 
A audiência tratou do processo da Operação Ratatouille, que aponta que o empresário Marco de Luca pagou, entre os anos de 2007 e 2016, R$ 16,7 milhões em propina a Cabral para obter benefícios em contratos com o governo do Rio de Janeiro. Foram contabilizados 82 pagamentos mensais aos operadores do ex-governador, Carlos Miranda e Luiz Bezerra, no valor aproximado de R$ 200 mil. 
 
Para o MPF, a continuidade dos pagamentos até a prisão de Cabral mesmo após ele ter deixado o cargo, demonstra a influência política que o ex-governador ainda exercia sobre a administração.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.