No Quinto Andar

Incêndio que causou desabamento de prédio em SP começou com curto-circuito, diz secretário

“O incêndio começou no quinto andar, em um cômodo que era ocupado por uma família, com quatro pessoas", afirmou o secretário da Segurança Pública de São Paulo

Até o momento, o Corpo de Bombeiros considera que há quatro vítimas sob os escombros ( Foto: Rovena Rosa/Agência Brasi )
17:53 · 03.05.2018 por Agência Brasil

O incêndio que causou o desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida, na última terça-feira (1º), foi causado por um curto-circuito em uma tomada de um cômodo no quinto andar. O espaço era ocupado por uma família de quatro pessoas. Segundo o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, o pai e uma criança ficaram feridos com queimaduras graves.

“O incêndio começou no quinto andar, em um cômodo que era ocupado por uma família, quatro pessoas, duas dessas pessoas sofreram ferimentos e foram levadas para o hospital. Uma para a Santa Casa e outra para o Hospital das Clínicas”, disse.

O estado da criança, que tem 3 anos de idade, é grave. Ela foi socorrida pelo pai, que está com dois terços do corpo queimados. “Mas está em uma situação aparentemente melhor que a da criança”, informou o secretário.

De acordo com Barbosa Filho, três aparelhos estavam ligados na tomada onde ocorreu o curto-circuito: um micro-ondas, uma geladeira e uma televisão. “Não foi uma briga de casal [como chegou a ser cogitado inicialmente], o que aconteceu foi a fatalidade, em uma prédio que tinha diversas irregularidades, essa tomada ligava três aparelhos, terminou vitimando essa família que ocupava esse cômodo”. O secretário disse que a mãe, que já foi ouvida pela polícia, conseguiu salvar o outro filho, um bebê.

Até o momento, o Corpo de Bombeiros considera que há quatro vítimas sob os escombros. Segundo a corporação, as chances de sobrevivência, decorridas mais de 48 horas após o desabamento do prédio, são mínimas.

Leia também:

. Vítimas do desabamento receberão auxílio-moradia a partir de segunda

. SP fará vistoria em 70 prédios invadidos após desabamento

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.