Medida Liminar

Gilmar Mendes manda soltar ex-diretor da Dersa apontado como operador do PSDB

Paulo Vieira Souza é suspeito de participar de desvio de recursos de R$ 7,7 milhões da Dersa, entre 2009 e 2011

Souza estava preso desde o dia 6 de abril ( Foto: Geraldo Magela / Agência Senado )
19:03 · 11.05.2018 por Estadão Conteúdo
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, mandou soltar o ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB.
 
Souza é suspeito de participar de desvio de recursos de R$ 7,7 milhões da Dersa, entre 2009 e 2011 (governos Serra e Alckmin).  Além disso, de acordo com o Ministério Público Federal em São Paulo, ele é suspeito de coagir uma mulher acusada no process. Ao menos três ameaças foram recebidas por ela e sua irmã nos últimos dois anos.
 
"(...) Ante o exposto, defiro a medida liminar para suspender a eficácia do decreto de prisão preventiva de Paulo Vieira de Souza, o qual deverá ser posto em liberdade, se por outro motivo não estiver preso. Publique-se. Comunique-se, com urgência. Dê-se vista à Procuradoria-Geral da República para parecer", anotou Gilmar.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.