Lava-Jato

Ex-ministro Antonio Palocci fecha acordo de delação premiada com a PF, diz jornal

Segundo O Globo, a colaboração, que ainda precisa ser homologada pela Justiça, dará novo impulso às investigações

07:57 · 26.04.2018 / atualizado às 08:02
palocci
Informações e documentos fornecidos por Palocci seriam suficientes para abertura de novos inquéritos, operações e até mesmo prisões ( Foto: Agência Brasil )

Um dos antigos homens de confiança dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, o ex-ministro Antônio Palocci decidiu fechar um acordo de delação premiada com a Polícia Federal (PF), informou nesta quinta-feira (26) o jornal O Globo. Segundo a publicação, a colaboração ainda precisa ser homologada pela Justiça, mas já tem seus termos definidos por ambas as partes.

Preso desde 2016, Palocci, que foi ministro da Fazenda no governo Lula e ministro-chefe da Casa Civil na gestão de Dilma, já havia tentado negociar uma colaboração com os procuradores da força-tarefa da Lava-Jato, mas não obteve sucesso. Nos últimos dias, porém, a delação para a PF avançou com rapidez. Segundo fontes ouvidas pelo jornal, os investigadores já teriam até mesmo concluído a fase de depoimentos.

Atualmente sem partido, Palocci foi filiado ao PT por mais de 35 anos, sendo um dos mais influentes na sigla. Conforme O Globo, as revelações feitas por ele devem dar um novo impulso à Lava-Jato, culminando na abertura de novos inquéritos, operações e até mesmo prisões.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.