"ele vai saber se defender"

'É grave, eu reconheço', diz Tasso sobre denúncias contra Aécio

Escolhido para presidir interinamente o PSDB, o mandato do senador cearense à frente do partido só termina quando, e se, Aécio abrir mão do cargo em caráter definitivo

15:04 · 19.05.2017 / atualizado às 15:05 por Estadão Conteúdo
Tasso Jereissati Aécio Neves denúncias delação JBS PSDB
Questionado sobre os rumores de que poderia ser candidato do PSDB para um mandato tampão caso o presidente Michel Temer deixe o cargo, Tasso disse desconhecer qualquer articulação neste sentido ( Foto: Arquivo )

Escolhido nessa quinta-feira (18) pelo senador Aécio Neves (MG) para presidir interinamente o PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) classificou como "grave" a situação do ex-presidente da legenda. "É grave, eu reconheço. Mas tenho confiança que ele vai saber se defender", disse o tucano em entrevista à rádio CBN.

Leia mais:

>Temer e Aécio agiam para impedir avanço da Lava Jato, diz inquérito

>Não há ilegalidade em áudios gravados por Joesley, diz Fachin

>Delação JBS: "Temer quer que eu retire a ação" do TSE, diz Aécio em áudio gravado

Questionado sobre os rumores de que poderia ser candidato do PSDB para um mandato tampão caso o presidente Michel Temer deixe o cargo, Jereissati disse desconhecer qualquer articulação. "Nada pode ser feito fora da Constituição. Só assim as instituições ficam preservadas", ponderou.

O PSDB defende hoje majoritariamente que, caso haja o afastamento de Temer, o processo de sucessão ocorra de forma indireta, ou seja, por meio do Congresso Nacional.

O mandato do senador cearense à frente do PSDB só termina quando e se Aécio abrir mão do cargo em caráter definitivo. Nesse caso, um dos oito vice-presidentes da sigla será escolhido.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.