Programa "Allimento"

Doria promete distribuir "comida de astronauta" para erradicar a fome em São Paulo

O produto - uma espécie de granulado alimentar - tem dois anos de vida útil; especialistas em nutrição têm criticado e chamado a comida de "ração"

21:28 · 12.10.2017 / atualizado às 21:42 por Folhapress
joao doria
O produto é resultado de um sistema de beneficiamento de alimentos que não são comercializados - Foto: divulgação
O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou em vídeo publicado na internet nesta semana que distribuirá uma espécie de "comida de astronauta" para moradores de comunidades pobres da cidade. Em viagem a Milão nesta quinta-feira (12), o tucano defendeu a "alta qualidade" do produto, após ser questionado sobre a opinião de alguns nutricionistas que criticam a iniciativa e a chamam de "ração humana".
 
O produto batizado de Allimento é feito pela empresa Plataforma Sinergia, que, segundo a gestão Doria, doará os alimentos processados. Segundo o site da companhia, eles estão "em datas críticas de seu vencimento ou fora do padrão de comercialização, razões que não interferem em sua qualidade nutricional ou segurança".
 
Segundo o site, esse composto chamado de farinata é resultado de um sistema de beneficiamento de alimentos que não são comercializados por indústrias, supermercados e varejo em geral, desenvolvido ao longo de anos de pesquisa. O produto final, uma espécie de granulado alimentar que o prefeito associou a um biscoito de polvilho, tem, sempre segundo a empresa, dois anos de vida útil com a preservação das propriedades nutricionais originais.
 
O alimento é distribuído como alternativa ao combate à fome em países que enfrentam insegurança alimentar ou foram atingidos por catástrofes naturais ou humanitárias.
 
Comida de astronauta
 
Após reunião com empresários em Milão, Doria aproveitou para defender o programa de distribuição do composto alimentar apresentado nesta semana pela prefeitura, que foi classificado como "ração" por alguns nutricionistas.
 
"Isso é um trabalho de anos, elaborado com um enorme cuidado. Foi submetido à Prefeitura de São Paulo com todos os respaldos de universidades e cientistas", disse o tucano. "O alimento é liofilizado, o mesmo que os astronautas consomem em missões espaciais. O gosto é bom, eu experimentei. Tem vários sabores, inclusive", defende.
Doria minimizou a polêmica: "Eu credito isso [as críticas] à falta de informação ou a um sentimento ideológico de querer criticar o que deveria ser estudado."
 
Veja como é o produto que será distribuído:
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.