juntos há 82 anos

Casal centenário mantido junto em hospital recebe alta no DF

Sebastiana Matos, de 101 anos, e Francisco de Alencar, de 102, já estão em casa "dormindo de mãozinhas dadas"

Depois de 10 dias internados, o casal já pode dormir de mãos dadas em casa ( Foto: Jane Alves / Arquivo Pessoal )
09:35 · 27.04.2018 / atualizado às 10:26

O casal Sebastiana Matos, 101 anos, e Francisco de Alencar, 102, agora pode comemorar em casa mais um momento feliz de sua história de amor que já dura 82 anos. Os dois, que estavam internados há 10 dias, receberam alta do Hospital Regional de Samambaia, no Distrito Federal, e já estão em casa "dormindo de mãozinhas dadas", como descreveu a famíla. As informações são do portal G1.

A história de Sebastiana e Francisco ganhou repercussão na última sexta (20), quando a direção do hospital quebrou o protocolo de atendimento e manteve os dois internados lado a lado, no mesmo quarto.

Sebatiana deu entrada no hospital na segunda-feira, dia 16, com agravamento no quadro de diabetes. Francisco chegou no dia seguinte, por causa de um problema renal. Separados em alas diferentes, os dois "não cansavam de perguntar um pelo outro", contou a neta, Jane Alves.

A alta e a volta para casa foi motivo de comemoração de toda a família. "Foi uma festa, teve riso e choro. Eles sentaram juntos na mesa e comeram bem. Agora só querem descansar", contou a neta.

Amor que inspira

Jane conta que o avô gostou de saber que o amor entre ele e a esposa tem inspirado várias pessoas. "Mas ele ficou se perguntando como um sentimento pode supreender tanto as pessoas".

"Agora eles já sabem que o Brasil todo conhece o amor deles. Meu avô sorriu e confirmou: 'eu amo mesmo a Bastiana'.", contou Jane.

Sebastiana, mais debilitada devido aos sintomas da doença de Alzheimer, expressa poucas reações. "Ela ficou tranquila quando sentiu que comeu ao lado do meu avô, quando ouviu a vozinha dele perto dela", explica a neta.

Sempre juntos

Ainda no hospital, a família decidiu juntar as camas dos idosos durante o dia, separando-os somente a noite por causa dos aparelhos médicos. "Quando se afastam, eles sentem muito", disse Jane. 

"Meu avô passa a noite toda procurando pela mão dela."

A família ainda contou que a morte de um deles antes do outro era uma preocupação. O casal teria combinado que "um não vai morrer sem o outro".

"Ele ora que quando Deus levar ele, que Deus leve a 'Bastiana' também", contou a neta.

Amor proibido

A história de amor entre do casal teve início na década de 1930. Saindo do Maranhão em busca de emprego, Francisco chegou numa fazenda, no interior de Goiás, onde conheceu Sebastiana, filha dos donos do local e aquela que viria a ser sua esposa.

"Ele já a achava muito bonita, mas não tinha coragem de falar porque não se sentia digno dela", conta a neta.

O pai de Sebastiana foi contra o relacionamento dos dois, então a jovem aceitou fugir com o então "namorado de olhos azuis". "A tia dela foi o cupido, mas meu bisavô não queria saber porque ele [Francisco] não tinha posses".

Assim como em grandes histórias de amor contadas pelo cinema, o casal fugiu da fazenda a cavalo, em outubro de 1936. "No caminho, pararam em uma igreja e se casaram", diz a neta.

O casal só retornou à Goiás após o nascimento do 12º filho, em 1961.

Os dois, agora centenários, celebram os respectivos aniversários rodeados da família, que reúne, além dos filhos, cerca de 70 netos e 45 bisnetos e oito tataranetos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.