Debate

Candidatos pedem para retirar púlpito vazio em solidariedade a Bolsonaro

Além de Bolsonaro (PSL), que está hospitalizado, o debate teve ausência de Lula (PT), preso, e do Cabo Daciolo (Patri), que foi jejuar no Monte das Oliveiras

18:30 · 09.09.2018 por FolhaPress
Jair Bolsonaro
Arquivo. Bolsonaro em debate no dia 9 de agosto de 2018. ( Foto: NELSON ALMEIDA / AFP )

A ausência dos principais candidatos desta safra eleitoral pautou o início do debate transmitido neste domingo (9) pela TV Gazeta.

"Em gesto de solidariedade a Jair Bolsonaro", do PSL, os outros candidatos revogaram a regra do púlpito vazio, ou seja, o espectador não verá no ar a cadeira reservada ao capitão reformado, que está hospitalizado após sofrer um atentado quatro dias atrás.

Lula está proibido pela Justiça de se apresentar como presidenciável, e seu partido, o PT, ainda não apontou seu substituto - ao que tudo indica, Fernando Haddad.

LEIA MAIS

>  Debate fica 'capenga', diz Ciro sobre ausências de adversários

> Bolsonaro pode voltar a se alimentar por via oral nos próximos dias 

O púlpito do nanico Cabo Daciolo (Patri), que avisou que estaria jejuando no Monte das Oliveiras e por isso não poderia ir ao confronto entre presidenciáveis, também foi retirado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.