por 29 a 16

Câmara Municipal do Rio rejeita abertura de impeachment contra Crivella

O pedido foi barrado pelos vereadores por 29 votos a 16. Crivella era acusado oferecer supostas vantagens a fiéis de sua Igreja, como prioridade em cirurgias no SUS e isenção de IPTU aos templos

As galerias da Câmara dos Vereadores do Rio estavam lotadas com manifestantes contra e a favor do impeachment de Crivella ( Foto: Mário Vasconcellos/CMRJ )
17:50 · 12.07.2018 / atualizado às 18:03 por Redação Diário do Nordeste / Estadão Conteúdo

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro rejeitou, em sessão extraordinária realizada na tarde desta quinta-feira (12), a abertura do processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). O pedido foi barrado por 29 votos a 16.

Para barrar o pedido de admissibilidade do processo de impeachment, os vereadores pró Crivella precisavam conseguir apenas 26 votos, já que era exigida maioria simples para aprovação ou rejeição. A sessão de votação começou às 14h desta quinta-feira. O prefeito do Rio era acusado dos crimes de responsabilidade e improbidade administrativa por oferecer supostas vantagens a fiéis de sua Igreja.

> Grupos pró e contra impeachment de Crivella se manifestam na Câmara Municipal do Rio

Em reunião fechada no Palácio da Cidade, na semana passada, Crivella ofereceu a líderes religiosos ajuda para obter cirurgias de catarata e varizes, pelo SUS, para fiéis. O prefeito também acenou com a possibilidade de ajuda a pastores com problemas para obter a isenção legal de pagamento de IPTU para seus templos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.