Na Paraíba

Agressor de jornalista em ato pró-Lula é liberado após pagar fiança

O homem, que não teve a identidade divulgada, pagou R$ 1 mil de fiança e vai responder em liberdade

11:00 · 07.04.2018 / atualizado às 11:04 por Estadão Conteúdo
protesto
Oscar Neto foi cercado por quatro homens, que o agrediram, mas apenas um agressor foi identificado e detido ( Adonis Guerra )
A Polícia Civil liberou, na madrugada deste sábado (7), o militante acusado de agredir o jornalista Oscar Neto, da rádio Band News, durante protesto contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em João Pessoa (PB), na sexta-feira (6). O homem, que não teve a identidade divulgada, pagou R$ 1 mil de fiança e vai responder em liberdade pelo crime de lesão corporal. 
 
O jornalista foi agredido quando registrava o ataque dos militantes ao prédio da TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo, em João Pessoa. Algumas pessoas atiraram pedras nas janelas e derrubaram o portão de entrada de veículos da emissora. Oscar Neto foi cercado por quatro homens, que o agrediram, mas apenas um agressor foi identificado e detido. O jornalista passou por exame de corpo de delito. A emissora lamentou o ataque à liberdade de imprensa.
 
Alta - A militante do Movimento dos Sem-Terra (MST) Lindalva Pereira de Lima Filha, baleada durante bloqueio na BR-101, em Alhandra (PB), em protesto contra a prisão de Lula, recebeu alta do Hospital de Emergência e Trauma, de João Pessoa, na noite desta sexta-feira (6). De acordo com a Polícia Militar, os tiros foram disparados pelos ocupantes de um carro em alta velocidade que furou o bloqueio. Uma bala atingiu a perna da sem-terra, na altura do joelho. A Polícia Civil tenta identificar o atirador com base nas características do veículo, descritas por testemunhas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.