Denúncia

Aécio Neves pediu R$ 2 milhões ao dono da JBS, revela áudio

Quantia foi entregue a um primo do tucano, em ação filmada pela Polícia Federal

21:04 · 17.05.2017
aecio
Pagamento ao senador Aécio Neves foi feito em quatro entregas de R$ 500 mil, sendo que uma delas foi filmada pela Polícia Federal (PF) ( Agência Brasil )

Além de revelar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a existência de um áudio com o presidente Michel Temer dando aval à compra do silêncio de Eduardo Cunha, o empresário Joesley Batista, dono da JBS, entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação em que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece lhe pedindo R$ 2 milhões, alegando que precisava da quantia para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato.

De acordo com o jornal O Globo, a irmã e braço-direito do senador do PSDB, Andréa Neves, foi a responsável pela primeira abordagem ao empresário, por telefone e via WhatsApp (as trocas de mensagens estão com os procuradores). Posteriormente, Aécio e Joesley se encotraram no dia 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo, onde o pedido foi feito.

Ainda segundo o jornal O Globo, Joesley aceitou o pedido e realizou o pagamento em quatro entregas de R$ 500 mil, sendo que uma delas foi filmada pela Polícia Federal (PF). Quem recebia o dinheiro era um primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, mais conhecido como Fred, que foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Já o entregador era o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores.

As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.