Em creche de MG

Número de mortos em incêndio chega a nove

Ministério Público vai abrir inquérito para apurar se houve negligência estatal. Não havia extintor na escola

Tragédia de Janaúba, que teve repercussão mundial, despertou as atenções das autoridades para as condições de segurança das unidades de ensino ( Foto: PM-MG )
00:00 · 07.10.2017

Janaúba. Com as ruas tomadas por cortejos, Janaúba, no norte de Minas Gerais, se tornou uma cidade marcada pelo luto. Na tarde da sexta-feira (6), enquanto a população velava e enterrava os mortos do incêndio causado pelo vigia Damião Soares dos Santos na creche Gente Inocente, o Corpo de Bombeiros confirmava mais duas vítimas. No total, sete crianças, uma professora e o autor do ataque morreram. Treze vítimas estão internadas em estado gravíssimo.

Cecília Gonçalves Dias e Yasmim Medeiros Sabino tinham 4 anos e morreram na sexta na Santa Casa Montes Claros. Em todo o município, o clima é de pesar e comoção diante da maior tragédia da história da cidadezinha de 72 mil habitantes.

"Você me deu os dois, por que agora me tira um?". Esses eram os gritos que se ouviam de uma mãe no cemitério de Janaúba, onde Ana Clara Ferreira Silva, de 4 anos, foi enterrada na manhã de sexta. Com as mãos coladas ao caixão da filha, a desempregada Luana Ferreira de Jesus só conseguia chorar e pedir: "Por favor, não levem minha filha embora!". Ao lado dela, o marido chorava em silêncio.

Damião sofria de transtorno persecutório, segundo a Polícia, e começou a demonstrar transtornos em 2014, quando foi ao Ministério Público denunciar que a mãe estava envenenando a comida dele, mas era mentira.

O Ministério Público de Minas Gerais vai instaurar inquérito civil para investigar se houve negligência do município e do estado de Minas Gerais no acompanhamento do vigia. O MP quer saber se foi identificada, com antecedência, a necessidade de acompanhamento psicológico ao vigia e se ele teve acesso a algum tratamento.

Sem extintor

Inaugurada no ano de 2000, a creche Gente Inocente, onde morreram queimadas as crianças e uma professora, não tinha extintor nem sistema anti-fogo e nem alvará do Corpo de Bombeiros. A prefeitura de Janaúba afirma que, agora, vai mapear todos os prédios públicos.

Ao longo do dia, a população se mobilizou para confortar os familiares das vítimas e rezar pelos que estão internados. Por causa da tragédia, o Ministério Público abriu uma conta bancária para receber doações em dinheiro, que servirá de auxílio material às famílias das vítimas. Até o início da tarde de sexta, o montante chegava a R$ 177 mil.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.