Sobre candidatura

Michel Temer diz estar 'meditando'

00:00 · 18.05.2018
Temer
O presidente da República está sendo pressionado no MDB para definir logo seu futuro político ( Foto: Agência Brasil )

Brasília. O presidente Michel Temer afirmou ontem que está “meditando” sobre a possibilidade de sair ou não candidato à reeleição em outubro. Na saída de um almoço com alguns aliados, Temer foi questionado por jornalistas se ele teria desistido de sua candidatura. “Estou meditando”, respondeu o presidente.

O almoço, que aconteceu na casa do deputado Heráclito Fortes (DEM-PI), inicialmente não foi divulgado na agenda oficial do presidente. Estiveram presentes também o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os deputados Benito Gama (PTB-BA) e Arthur Lira (PP-AL) e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

O deputado Arthur Lira, que participou do encontro, afirmou que não se tratava de reunião de trabalho e que o grupo conversou apenas “amenidades”.

“Eu estava em Brasília, como muitos deputados não estão mais aqui, o Heráclito nos chamou para almoçar, mas só conversamos amenidades, nada de mais”, afirmou Lira.

Embora, na saída, o presidente Temer tenha falado sobre sua candidatura, Arthur Lira negou que o assunto tenha sido abordado no almoço.

Já a líder do MDB no Senado, Simone Tebet, reforçou a necessidade de definição rápida da candidatura do partido ao Palácio do Planalto.

“O sentimento da bancada é de que devemos pelo menos tentar candidatura própria e isso deve ser definido logo, até mesmo para que Henrique Meirelles ou outros interessados possam colocar mais confortavelmente suas pré-candidaturas”, avaliou.

Desgaste

As denúncias feitas pelo executivo Joesley Batista, em maio de 2017, que envolveram Temer, trouxeram prejuízo político para o governo e também para a aprovação da Reforma da Previdência. A afirmação foi feita ontem pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista a jornalistas de agências internacionais. “Não posso ignorar que isso trouxe prejuízo político para o governo porque, durante algum tempo, tivemos de gastar energia para fazer com que o Congresso Nacional se ocupasse da análise e da negativa de autorização para que o presidente não fosse processado”.

Já o presidente do MDB, Romero Jucá (RR), e o ministro Moreira Franco, que também é presidente da Fundação Ulysses Guimarães, marcaram para a próxima terça-feira, um evento para apresentar a versão preliminar do documento “Encontro com o Futuro”, que reúne propostas da sigla para o País.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.