Em sabatinas pré-eleitorais

Lula não poderá ter representante

00:00 · 12.05.2018

Brasília/Curitiba. O ministro Og Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou liminar pedida pelo do PT para obrigar veículos de comunicação a chamarem um representante do partido para um ciclo de entrevistas com os pré-candidatos a presidente da República mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto.

Mesmo diante da impossibilidade de Lula, condenado em janeiro pela segunda instância e preso desde abril, ser entrevistado, o PT queria que alguém fosse chamado em seu lugar para levar a público suas ideias.

O ministro Og Fernandes destacou que se trata de uma situação inédita e disse que não vislumbrou "a obrigação das empresas que promovem o evento de convidar alguém indicado pela agremiação a que pertence esse pré-candidato". Já a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), disse na sexta em Curitiba que, caso Lula seja impedido de ser candidato nas próximas eleições, ele "vai saber o que fazer".

Já a defesa de Fernando Bittar, um dos donos do sítio de Atibaia, levou ao juiz federal Sérgio Moro o testemunho de um publicitário que afirma ter tido interesse em comprar a propriedade. Roberto Barbeiro foi ouvido na sexta, como testemunha de defesa de Bittar.

Manifestante

A Justiça decretou a prisão preventiva do ex-vereador de Diadema Manoel Eduardo Marinho, o Maninho do PT, e seu filho Leandro por tentativa de homicídio de um manifestante em ato em frente ao Instituto Lula, em abril, motivado pela prisão do petista. A defesa de Marinho negou que tenha havido tentativa de homicídio e disse que vai recorrer.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.