PF do Paraná

Juíza barra visitas de políticos a Lula

00:00 · 11.04.2018

Curitiba. Governadores de nove estados visitaram, na tarde de ontem, a Superintendência da Polícia Federal (PF) do Paraná, onde Lula cumpre pena desde sábado, mas não conseguiram ter contato com o ex-presidente. A juíza Carolina Moura Lebbos, da 12 Vara de Execução Penal, negou o pedido para que os chefes de Executivos estaduais estivessem com o líder petista.

A magistrada alegou, em seu despacho, que não havia fundamento para "flexibilização do regime de visitas" ao ex-presidente. Na decisão, a juíza destacou argumentos usados pelo juiz Sergio Moro em um despacho da véspera em que determinou que não haja privilégios para as visitas a Lula. Ele determina que seja aplicado com o ex-presidente a "regra geral" da carceragem da PF. Pelas normas do local, as visitas acontecem apenas às quartas-feiras.

> Ação favorável a Lula tem julgamento adiado

Dos governadores que foram ao Paraná, quatro são do PT, dois do PSB, um do PCdoB, um do PDT e um do PMDB.

O cearense Camilo Santana era um dos setes governadores nordestinos no grupo, além de outros dois da região Norte.

Além de Camilo, participaram da visita os governadores do Acre, Tião Viana (PT), do Amapá, Valdez Goes (PDT), Alagoas, Renan Filho (PMDB), Bahia, Rui Costa (PT), Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e Piauí, Wellington Dias (PT). Antes de ir à sede da PF, os governadores almoçaram na casa do senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Líderes dos cinco partidos da oposição na Câmara (PT, PB, PDT, PCdoB e PSOL) pediram ontem a criação de uma comissão externa para visitar Lula.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.