Henrique Alves

Ex-ministro ganha habeas corpus

00:00 · 04.05.2018 / atualizado às 00:15

Brasília. Quase um ano após ser preso por ter mantido conta na Suíça suspeita de receber propina, o ex-ministro e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) obteve uma decisão por sua soltura ontem no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

O desembargador federal Ney Bello entendeu que a prisão preventiva não se justifica mais, porque seus processos já estão em fase final e ainda sem julgamento. No processo que corre na Justiça do Rio Grande do Norte, porém, ele tem uma ordem de prisão domiciliar. Assim, terá de ficar em casa ao sair da cadeia. No habeas corpus, a defesa argumentou que a prisão já havia ultrapassado 300 dias sem que seu julgamento se encerrasse.

Alves também é acusado de receber R$ 7 milhões da OAS e Odebrecht, conforme delação de executivos, em doação legal ou via caixa dois, em troca de atuar para favorecer as empresas em obras como a construção da Arena das Dunas, em Natal.

Ney Bello determinou a soltura em relação à ordem de prisão da 10ª Vara da Justiça Federal do DF. Em Brasília, o ex-ministro é acusado de receber propina da Carioca Engenharia em contas no exterior, em troca de favorecer a empresa na Caixa Econômica. A defesa nega.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.