Eleições 2018

DEM pode se aliar com Alckmin

00:00 · 13.06.2018

Brasília. O deputado Rodrigo Garcia (DEM), ex-secretário do governo Geraldo Alckmin (PSDB), disse que o seu partido trará boas notícias ao tucano. Tradicional aliado do PSDB, o DEM ampliou o leque de conversas nesta eleição diante do desempenho de Alckmin nas pesquisas de intenção de voto. Líderes partidários se aproximam inclusive do presidenciável Ciro Gomes (PDT), cujas bandeiras estão à esquerda do ideário de direita do DEM (ex-PFL).

Em meio a rumores de que negocia uma aliança com partidos de centro como o PP e o DEM para as eleições deste ano, o pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, declarou, ontem, que a prioridade dada ao PSB na discussão de uma coligação se dá "pelo simples fato de o partido não ter candidato" e que é preciso respeitar as legendas com pré-candidaturas lançadas.

"A prioridade, pelo mero fato, sem desmerecer ninguém, é o PSB, pela circunstância simples e somente ela de o PSB não ter candidato", disse o ex-governador do Ceará, que participou de um encontro promovido pela Forca Sindical em São Paulo.

"O PCdoB, que tem candidato, cai na mesma reflexão. Adoraria ter apoio deles, mas eles lançaram a Manuela (D'Ávila)".

Marina

Depois de a pré-candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, ter anunciado que negociava uma aliança com o PSB, o comando da sigla socialista reagiu, ontem, e negou qualquer aproximação com a ex-senadora.

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, classificou a afirmação de Marina de "fake news", uma possibilidade que não passaria de "sonho" de Marina.

Os governadores do PSB também ficaram surpreendidos pelo rompimento da Rede. O caso de Pernambuco é emblemático, dizem, porque foi um dos poucos estados onde ela venceu na eleição presidencial de 2014.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.