STF

Decisão sobre bloqueio de bens de Aécio é adiada

00:00 · 13.06.2018

Brasília. Um pedido de vistas do ministro Luiz Fux adiou a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre um pedido de bloqueio de bens do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Luís Roberto Barroso e Rosa Weber votaram para realizar um bloqueio de bens de R$ 1,6 milhão caso o senador seja condenado no processo do caso da JBS. O relator, ministro Marco Aurélio Mello, tinha votado contra a medida.

>Restrição de foro se estende a ministros

O pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) era de um bloqueio de R$ 5,6 milhões. Barroso, porém, entendeu em reduzir o valor para cobrir apenas um eventual pagamento de multa pedida pela PGR na ação. O montante adicional se referia a uma eventual indenização por danos morais coletivos.

Barroso sustentou que, como relator da execução penal do processo do mensalão, verificou que vários condenados justificaram não poder pagar a multa ao fim do processo. Marco Aurélio, que já tinha votado, ressaltou que a medida não pode ser aplicada a quem ainda não foi condenado. Afirmou que somente se tivesse sido indicado algum sinal de que o senador estaria se desfazendo do patrimônio o bloqueio poderia ser realizado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.