disputa presidencial

Ciro prevê 2º turno contra tucano

00:00 · 15.06.2018
Image-0-Artigo-2414414-1
Postulante do PDT ao Planalto também voltou a relacionar o pré-candidato Jair Bolsonaro com o fascismo ( FOTO: AFP )

São Paulo. O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou, ontem,acreditar que irá disputar o segundo turno das eleições deste ano com o tucano Geraldo Alckmin e não o deputado Jair Bolsonaro (PSL), hoje o primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto nos cenários sem o ex-presidente Lula.

> Marconi Perillo vai coordenar campanha política 

"Acho que o Alckmin é quem vai para o segundo turno comigo. Minha questão com o Bolsonaro não é com ele, é contra o fascismo", disse o pedetista, ao ser questionado sobre por que tem preferido rivalizar com o deputado fluminense em suas aparições públicas.

"Acho que todos nós, democratas do País, temos responsabilidade em arrancar a raiz desse fenômeno protofascista que ele representa, felizmente com grande vulgaridade", emendou.

Alianças

Ciro e Alckmin têm se movimentado para disputar, nas ultimas semanas, o apoio de legendas do chamado Centrão, como PP, DEM e Solidariedade. Questionado sobre o estado das negociações, Ciro disse que nada vai ser acertado até meados de julho.

"Estou animado com essas conversas, mas só vamos assistir algo sobre alianças só em meados de julho, e olhe lá".

Um dia após o vice-presidente nacional do PSB, Beto Albuquerque, afirmar que a sigla deveria descartar qualquer tipo de aliança nacional no primeiro turno, Ciro fez um afago ao antigo colega de partido. Referindo-se ao ex-deputado como um "amigo querido", Ciro voltou a dizer que "quer muito" um acordo já na primeira etapa de votação.

"Quero muito o apoio do PSB. Se eu vou conseguir ou não, vai depender de muitos fatores, mas eu quero muito. E o Beto Albuquerque é um dos amigos queridos que eu tenho lá", afirmou Ciro, em referência às declarações do ex-deputado.

Cid

Após encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Cid Gomes afirmou que a prioridade do PDT continua sendo conquistar o apoio do PSB à candidatura de Ciro.

Maia e Cid jantaram na quarta, em Brasília. O ex-governador do Ceará evitou confirmar o encontro, e alegou que isso seria deselegante, visto que Maia também é pré-candidato. "Posso repetir um bordão? A nossa prioridade é o PSB", disse Cid.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.