série b

Vexame duro de engolir

Em queda de produção, Fortaleza perde para o lanterna da Série B, que foi a campo cheio de desfalques, mas venceu

00:00 · 15.09.2018 / atualizado às 00:22 por Ivan Bezerra - Repórter
Image-0-Artigo-2453630-1
Técnico Rogério Ceni pede apoio da torcida para reverter a má fase ( FOTO: JL ROSA )

Não adiantou o apoio da torcida no Aeroporto Internacional Pinto Martins para empurrar o time a uma vitória frente ao laterna da Série B do Campeonato Brasileiro. Também não adiantou o técnico Rogério Ceni lançar cinco atacantes no decorrer do jogo frente ao Sampaio. Mesmo com tudo isso, o líder Fortaleza acabou derrotado pelos maranhenses por 1x0, mostrando a queda de rendimento do time no segundo turno da Série B, nesse jogo pela 27ª rodada.

Ofensivo

O Leão do Pici entrou em campo com uma proposta ofensiva, com três atacantes: Roldolfo, o estreante, Gustavo e Marcinho. Aos poucos, notou-se que o jogo ofensivo do Tricolor evoluiu mais pelo lado esquerdo com Marcinho, do que com Rodolfo, pela direita.

Por sinal, a escolha de Rodolfo, que acabou de chegar ao clube, foi infeliz, pois o atleta não se houve bem e o time perdeu uma substituição sem necessidade. O jogador ainda estava se adaptando ao estilo de jogo do Fortaleza e ganhou a titularidade.

A iniciativa de ataque do Fortaleza lhe trouxe também problemas, pois o time foi falho na marcação. Marcinho e Roldolfo não possuem as características para voltar e marcar o lateral e deixaram a defesa exposta. O meio-campo nada criou e igualmente não conseguiu desarmar. Os jogadores Felipe e Derley caíram muito de rendimento nos últimos jogos, o que também compromete o restante da equipe.

O Sampaio fechou bem os espaços, jogando com muita garra e forte marcação. O momento era tão ruim para o Tricolor do Pici, que aos 20 minutos, Marcinho driblou dois jogadores, no terceiro, sofreu pênalti, cometido por César Sampaio. E mesmo assim, o time não aproveitou. Bruno Melo cobrou no canto direito e o goleiro Andrey fez a defesa, espalmando.

O Leão do Pici mostrou também que não sabe jogar se retrancando, apenas se atirando para cima do adversário, deixando espaços generosos. Aos 42 minutos, em jogada pela esquerda, saiu o cruzamento, o goleiro Marcelo Böeck rebateu fraco, a bola bateu nas costas dele, na trave e sobrou para Bruninho tocar para um gol sem ninguém.

O Fortaleza ficou com o ilusório domínio territorial, sem conseguir penetrar na defesa da Bolívia Querida. Insistiu nas jogadas pelo meio, onde estava muito congestionado e nada conseguiu, sendo derrotado por um time cheio de volantes improvisados de zagueiro.

Quarta derrota

O Leão do Pici já perdeu quatro jogos em sequência, fora de casa no returno, para CRB/AL, Goiás, Criciúma e agora Sampaio Corrêa. A equipe tricolor já está há quatro jogos sem vitória, o que permitiu a aproximação dos rivais. O próximo deles é o Vila Nova, na próxima sexta-feira, às 21h30 na Arena Castelão.

arte

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.