fortaleza

Valeu esperar

Volante Derley vive bom momento no Fortaleza e justifica a espera de tanto tempo para poder jogar

Volante Derley superou a longa espera para terminar a sua punição e vestir a camisa do Fortaleza. Encerrando os dias de suspensão, o jogador agradou à torcida, com sua raça e entrega aos objetivos do clube na Série B ( FOTO: THIAGO GADELHA )
00:00 · 28.04.2018

Ele foi o primeiro reforço do Fortaleza anunciado para a temporada de 2018, mas quando estourou a informação de que não poderia atuar, pois estava punido em 180 dias, não faltavam vozes discordantes da diretoria.

Durante alguns meses, o presidente Marcelo Paz e seus pares de diretoria tiveram que ouvir críticas por terem trazido um atleta que não poderia atuar.

O tempo passou e 120 dias transcorreram com o volante Derley, 31 anos, apenas treinando no CT Ribamar Bezerra, até o momento em que teve sua pena reduzida e pôde atuar. O resultado é que os torcedores do Leão hoje reverenciam a garra e qualidade do volante, ao ponto de entenderem tanto tempo de espera. "Eu fico feliz e queria que fosse bem antes estar jogando pelo Fortaleza, desde o Campeonato Cearense, mas isso não ocorreu, mas fico bastante contente", disse o atleta, ao agradecer um elogio sobre seu momento no time.

Terríveis

Derley recorda como dias muito difíceis no clube, apenas treinando, vendo os companheiros se concentrarem para as partidas e ele autorizado para utilizar apenas uniforme de treino. "Foram dias terríveis que sou eu mesmo sei o que passei. Não podia vestir o uniforme do clube, ser uma opção do treinador, foi difícil mesmo, especialmente porque fiquei só na cidade, com a família longe. A força veio de Deus, do clube que apostou em mim, dos companheiros que me incentivavam, dos torcedores que encontrava na rua, enfim, finalmente passou", disse Derley.

O cabeça-de-área nascido em Anápolis/GO, havia sido punido por dar uma cabeçada no árbitro Thiago Duarte Peixoto, da Federação Paulista, justamente o que vai apitar Londrina x Fortaleza, dia 1º de maio, às 16h30, no Estádio do Café. Eles estarão frente a frente, mas o atleta está orientado a não se meter com a arbitragem. E nem precisava. "Estou arrependido com tudo que aconteceu e certo de que vou viver um novo momento", falou o jogador. "O reencontro com o árbitro é uma grande oportunidade para que seja dado o perdão e a situação fique zerada. Ele já pagou por isso", disse o presidente Marcelo Paz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.