Suposta propina

Presidente do PSG é alvo de operação

00:00 · 13.10.2017
Image-0-Artigo-2309624-1
Al-Khelaifi, presidente do PSG, enfrentou críticas após gastar cifras astronômicas por Neymar ( FOTO: AFP )

Num novo capítulo dos escândalos de corrupção na Fifa, o Ministério Público da Suíça revelou nesta quinta-feira que abriu um processo penal contra o ex-secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke e o diretor da Bein Media Group por corrupção na escolha de contratos de TV para a Copa do Mundo. No centro da polêmica, porém, está Nasser Al-Khelaifi, o homem que bancou a transferência recorde de Neymar do Barcelona ao Paris Saint-Germain por 222 milhões de euros (cerca de R$ 834 milhões, na cotação atual) e hoje dono do time de Paris.

Uma megaoperação das polícias da Suíça, Itália, Espanha e França foi realizada nesta quinta-feira com o confisco de materiais em diferentes locais, residências e escritórios.

As investigações, segundo as autoridades suíças, começaram no dia 20 de março e apontam para "suspeitas de corrupção privada" e gestão desleal.

Além de comandar o PSG, Al-Khelaifi era o responsável da rede do Catar por direitos de transmissão. O caso reabre a crise no futebol e afeta duas das pessoas mais influentes do esporte e ainda num momento em que dirigentes questionam como o time de Paris encontrou 222 milhões de euros para levar Neymar.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.