Futebol inglês

Wenger descarta parar, mas não garante permanência no Arsenal

Decisão deverá ser tomada em abril

09:52 · 17.02.2017 por Agência Estado
torcedores do Arsenal defendem a saída de Wenger ( Foto: AFP )
Arsène Wenger quer continuar trabalhando como técnico na próxima temporada, mesmo que não seja pelo Arsenal. O contrato do francês, de 67 anos, com o Arsenal vai se encerrar no fim da temporada. Há a possibilidade da sua permanência no seu clube, iniciada em 1996, ser ampliada, com o treinador explicando que uma decisão deverá ser tomada em abril. "Não importa o que aconteça, vou treinar na próxima temporada", disse Wenger nesta sexta-feira. "Aqui ou em outro lugar, isso é absolutamente certo". 
 
A pressão se intensificou sobre Wenger desde a derrota por 5 a 1 para o Bayer Munique pela Liga dos Campeões da Europa, na última quarta-feira, na Alemanha, deixando o Arsenal próximo da sétima eliminação consecutiva nas oitavas de final da competição. 
 
O time londrino nunca venceu o torneio continental e não é campeão inglês desde 2004. "Mesmo que eu saia, o Arsenal não vai ganhar todos os jogos no futuro", disse Wenger. "Você tem que aceitar isso, mesmo que isso doa, assim como perder jogos". 
 
Há algum tempo, torcedores do Arsenal defendem a saída de Wenger. "Esse é um eterno debate quando você está em algum lugar por um longo tempo e há uma grande decepção. O que é importante é que o clube tome a decisão certa para o futuro". 
 
Wenger afirmou que teve "muitas oportunidades de ir para outros lugares" durante o período em que está no Arsenal, mas preferiu seguir no clube londrino, participando da mudança do time para o Emirates Stadium, saindo de Highbury, em 2006. "Eu me importo com este clube e me preocupo com seu futuro e acho que é muito importante o clube estar sempre em mãos seguras, comigo ou outra pessoa", disse. 
 
O Arsenal está em quarto luar no Campeonato Inglês e volta a jogar na próxima segunda-feira, quando vai encarar o Sutton, da quinta divisão nacional, fora de casa, pela Copa da Inglaterra.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.