Desleal

Uruguaio admite intenção de tirar Rodrygo de campo com falta

Rodrygo acabou deixando o jogo aos 28min do segundo tempo, com entorse no tornozelo após entrada de Fucile

Uruguaio admite intenção de tirar Rodrygo de campo com falta ( Foto: Reprodução )
12:41 · 02.05.2018

O lateral Jorge Fucile, do Nacional (URU), admitiu que abusou da violência para deter o atacante Rodrygo, do Santos, na vitória de sua equipe por 1 a 0 nesta terça-feira (1º), pela Taça Libertadores.

Em entrevista à rádio Sport 890 e reproduzida pelo site Referi, o uruguaio revelou que a pancada que deu no santista foi com a intenção de retirar o jogador da partida.

Rodrygo acabou deixando o jogo aos 28min do segundo tempo com entorse no tornozelo após entrada de Fucile. O atleta será avaliado pelo departamento médico para saber a gravidade da lesão.

"Eu levei três canetas, pela primeira vez na história eu levei três canetas. Não houve nenhum jogador que tinha me dado três vezes. Ele vai colocar o vídeo e assistir todos os dias. Não havia outra maneira de tirá-lo do campo. Pude sacá-lo de campo e assim se tranquilizou a partida", disse Fucile, que jogou no Santos em 2012.

Rodrygo deixou o estádio Gran Parque Central com gelo no pé e amparado pela comissão técnica, sem conseguir andar sozinho. Ele será avaliado pelos médicos nos próximos dias, de modo que ainda não é possível prever se estará à disposição de Jair para o jogo de domingo (6), contra o Grêmio.

O técnico do Santos, Jair Ventura, lamentou a conduta da arbitragem da partida, que não teria coibido a violência dos jogadores do Nacional.

"Uma pena que a técnica e a habilidade sejam paradas pela violência. As equipes da Libertadores marcam mais forte e acabam parando com violência a técnica, o improviso, o jogo que ele tem de habilidade. Vamos torcer para que não seja nada grave", lamentou o técnico.

Apesar da derrota em Montevidéu, o Santos já está classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores graças ao empate entre Real Garcilaso (PER) e Estudiantes (ARG).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.