Crise Política

Peres diz que Rollo quer tomar o poder no Santos através de impeachment

O sócio do Peixe irá votar contra ou a favor do impeachment do atual presidente Peres

18:53 · 12.09.2018 por Agência Estadão
Peres
Na segunda (10), os membros do Conselho Deliberativo do Santos aprovaram o primeiro de dois procedimentos de impeachment do presidente do Santos. ( Foto: Ivan Storti/Santos FC )

A crise política no Santos viveu mais um capítulo, nesta quarta-feira (12). Em nota oficial publicada através o site do clube, o presidente José Carlos Peres disparou contra o vice-presidente Orlando Rollo e o acusou de se aproveitar do processo de impeachment para tentar tomar seu lugar no comando.

"Lamentamos que o desejo de alcançar o poder via um processo político de impeachment cegue de tal forma o Sr. Orlando Rollo. Uma pequena amostra do tipo de procedimento e falta de postura de quem pretende tomar a presidência do clube", considerou Peres.

Na última segunda (10), em reunião na Vila Belmiro, os membros do Conselho Deliberativo do clube aprovaram os dois procedimentos de impeachment colocado em votação, que contou com a participação de 244 membros do clube. Agora, os sócios do Santos vão decidir o futuro de Peres.

Em um dos pedidos, a principal acusação envolvia a empresa Saga Talent, de agenciamento de atletas, que tinha Peres como sócio quando ele assumiu a presidência do Santos. Já outra acusação envolvia portaria editada por Peres e que definia que todas as contratações realizadas pelo clube deveriam ser determinadas pelo presidente, o que contrapõe o Comitê de Gestão do Santos.

Para completar o imbróglio, o site Yahoo! publicou que o contrato da compra de Carlos Sánchez pelo Santos foi assinado por Pedro Doria, aliado de Peres, no lugar destinado à assinatura de Orlando Rollo. Em entrevista ao portal, o vice-presidente se disse surpreso com a informação e garantiu que "com certeza pode ter algum interesse escuso nisso". "Talvez possa até configurar um crime", disparou.

Em resposta às declarações de Rollo, Peres questionou a falta de assertividade de seu vice-presidente. "Nenhum porta-voz com mínimo de responsabilidade poderia utilizar expressões como 'isso talvez possa até…', 'com certeza pode…' para falar de 'crime' e 'interesse escuso', ainda mais o próprio vice-presidente sobre a própria instituição", considerou.

De acordo com Peres, Rollo não garantiu a ilegalidade do ato por saber que a constituição santista permite o procedimento adotado na contratação de Sánchez. "Não é e nunca foi imprescindível a assinatura da vice-presidência para gerar validade e eficácia aos contratos do clube", apontou. "Como no momento da assinatura do contrato o vice-presidente se ausentou, ficou a encargo do membro do Comitê de Gestão presente - Sr. Pedro Dória - a segunda assinatura do Santos."

Peres ainda criticou o cenário político atual vivido pelo Santos e disparou: "Espero que possamos nestas novas eleições, Rollo x Peres, que se tornou esse desastrado processo de impeachment, mantermos minimamente a dignidade, preservarmos ao máximo a imagem do Santos e não termos mais episódios constrangedores como o dessas declarações levianas e irresponsáveis".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.