Copa do Brasil

Palmeiras vai enviar vídeo à CBF para reclamar de árbitro do jogo com Cruzeiro

Lance polêmico aconteceu aos 52 minutos da segunda etapa, pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil

17:27 · 13.09.2018 por Agência Estadão
Bruno Henrique
Bruno Henrique e Robinho disputam bola no chão, na Arena Allianz, em vitória cruzeirense por 1 a 0 sobre o Palmeiras. ( Foto: SE Palmeiras / Divulgação )

A diretoria do Palmeiras vai enviar à CBF uma reclamação contra a arbitragem do mato-grossense Wagner Reway na derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro, no Allianz Parque, na última quarta-feira (12), na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil. O clube quer protestar contra a anulação de um gol marcado nos acréscimos. O lance foi parado por falta antes da sua conclusão. 

O Palmeiras vai preparar um material com imagens do lance para embasar a reclamação. O clube entende ter sido prejudicado pela decisão do árbitro de marcar falta do zagueiro palmeirense Edu Dracena em disputa no alto com o goleiro Fábio, do Cruzeiro, aos 52 minutos do segundo tempo. No lance, a bola sobrou para Antônio Carlos completar com o gol vazio, mas a arbitragem já havia marcado a suposta infração. 

A cúpula palmeirense pretende com o gesto marcar uma posição firme nos bastidores e reforçar o descontentamento com a decisão. A reclamação será no molde de comunicados anteriores, com vídeo, e sem um teor mais formal. A diretoria fez o mesmo procedimento dias atrás para contestar decisões de arbitragem no jogo com o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro, e a expulsão do atacante Deyverson na partida com o Bahia, também pela Copa do Brasil.

Depois da partida, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, pediu punição ao árbitro. "O erro aconteceu pelo árbitro ser precipitado. Parou o lance. Eles não estão preparados. Coloca em dúvida tudo. Fizemos reclamação no fim de semana porque achamos a arbitragem péssima", disse o dirigente na saída do estádio.

A principal reclamação do Palmeiras se dá porque o árbitro não consultou o vídeo para o lance. Porém, segundo o responsável pelo sistema de árbitro de vídeo na CBF, Sérgio Corrêa, uma jogada como falta não se enquadra entre os possíveis lances em que a tecnologia deve ser acionada.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.