Libertadores

No Uruguai, Santos encara o Nacional para obter vaga antecipada

Uma vitória classifica o time santista

12:30 · 01.05.2018 por Estadão Conteúdo
Jair Ventura
Treinador, que não teve boa passagem no Santos, tenta se recuperar na carreira ( Foto: Ivan Storti/Santos FC )
O Grand Parque Central, em Montevidéu, local da partida desta terça-feira entre Nacional e Santos, às 21h30 (de Brasília), pela quinta e penúltima rodada do Grupo F da Copa Libertadores, é um estádio histórico. Foi ali que o Brasil fez a sua primeira partida em Copas do Mundo, quando perdeu para a extinta Iugoslávia por 2 a 1, em 1930. O local é acanhado, capaz de receber 26 mil pessoas, com um gramado duro e irregular em que a bola fica sempre viva. Esse caldeirão é o maior motivo de preocupação dos santistas no jogo que pode definir a classificação antecipada às oitavas de final.
 
O Santos chega tranquilo à quinta rodada da competição em um grupo que comanda com folga com 9 pontos, quatro a mais que o próprio Nacional. Uma vitória classifica o time santista. Se houver igualdade no placar do outro jogo da chave - entre Real Garcilaso e Estudiantes, às 19h15, no Peru -, o time da Vila Belmiro pode avançar com um empate.
 
"O campo é emblemático pela história, mas o gramado favorece o jogo deles de força, de cruzamento. Vai ser um jogo pesado e difícil. Mas temos estratégia para conseguir classificação", afirmou o técnico Jair Ventura.
 
No ano passado, o treinador, que ainda treinava o Botafogo, conseguiu uma vitória suada pelas oitavas de final. "O Nacional vem em um momento bom. Eles conseguiram uma goleada na Libertadores, estão bem no Campeonato Uruguaio e brigam com a classificação com o Santos", disse.
 
O time uruguaio começa nesta terça-feira uma semana decisiva para definir o primeiro semestre. Está a uma vitória de garantir o título uruguaio e perto de encaminhar a vaga nas oitavas de final da Libertadores.
 
Para a partida contra o Nacional, Jair Ventura tem duas dúvidas na escalação. Para a zaga, o treinador tem como opções Gustavo Henrique e Luiz Felipe para o lugar de Lucas Veríssimo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. No ataque, com Eduardo Sasha machucado, o treinador deve optar pelo colombiano Copete.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.