Acusação

Juninho Piauiense processará Corinthians por cancelar contratação

Jogador de 19 anos é acusado de violência doméstica, injúria e ameaça contra a ex-namorada

Advogado do jogador afirma que ele é apenas um jovem que cometeu um erro e está tentando se recuperar ( Foto: divulgação/Ceará )
08:13 · 10.08.2018 / atualizado às 08:15 por Folhapress

A defesa do atacante Juninho Piauiense entrará com um pedido de ação indenizatória contra o Corinthians depois que o clube desistiu de contratar o jogador de 19 anos. Ele é acusado de violência doméstica contra a ex-namorada. Em entrevista nesta quinta-feira (10) à Rádio Jornal, de Pernambuco, o defensor do atleta, Ernesto Cavalcanti,  classificou como "absurda" a decisão do time paulista.

<Juninho Piauiense não é mais jogador do Ceará

"Estão execrando o rapaz, estão colocando o rapaz na sarjeta. Estão tentando, mas não vão conseguir transformar esse rapaz em um bandido. Esse rapaz não é um bandido, é um jovem que cometeu um erro e está tentando se recuperar", disse a defesa.

O jogador pertence ao Sport e responde desde novembro de 2017 a um processo sob acusação de violência doméstica, injúria e ameaça, movido por uma ex-namorada. Ele também possui um histórico de indisciplina pelos clubes que atuou.

Protesto

O anúncio da contratação do atacante para as categorias de base foi repudiado por torcedores do Corinthians nas redes sociais. Diante das reações, a direção cancelou a transferência. A contratação ainda não havia sido oficializada.

Em nota oficial, o presidente corintiano Andrés Sanchez afirmou que a intenção do clube ao negociar a contratação do atleta era ajudar na recuperação dele.

"O Corinthians visava não só atrair um promissor talento futebolístico, mas também encetar um processo de ressocialização dele. Sabedor de antecedentes desabonadores no seu passado, acreditamos que um jovem devidamente orientado teria condições de mudar", diz a nota.

Assim que a possibilidade da contratação foi discutida pelo clube, torcedores criaram nas redes sociais uma campanha virtual para fazer o Corinthians desistir do negócio.  Alguns, inclusive, criticaram o fato de o time alvinegro discutir a negociação de Juninho no mesmo dia em que lançava mais um manifesto sobre a violência contra as mulheres.

Na quarta (8), o jogador chegou a desembarcar em São Paulo para se dirigir ao centro de treinamento do Corinthians, onde faria exames antes de assinar o contrato. Juninho se defendeu das críticas que vem sofrendo. "Eu não gosto nem de tocar no assunto, a gente sabe que tem mentiras e tem verdades, né? A verdade é que eu estou pagando por uma coisa que eu não fiz, entendeu?", afirmou o atleta ao site do Globo Esporte.

Leia nota do Coritnthians:

Ao entabular negociações com o atleta Juninho, o Corinthians visava não só atrair um promissor talento futebolístico, mas também encetar um processo de ressocialização dele. Sabedor de antecedentes desabonadores no seu passado, acreditamos que um jovem devidamente orientado teria condições de mudar de banda e, em vez de frequentar o grupo dos que tratam como corriqueira a agressão à mulher, pudesse se tornar um exemplo de evolução moral.

Ou seja, o episódio deveria representar um passo avante naquela que é bandeira sagrada do Timão: lutar contra qualquer forma de discriminação, abominar a violência, aliar-se aos mais fracos. Entretanto, considerando as inúmeras manifestações de torcedoras e torcedores contrários à eventual contratação de Juninho, informamos que ele não fará parte de nosso quadro de funcionários. O momento exige que o congraçamento de mentes em torno da causa feminista se sobreponha a quaisquer outras considerações.

Ademais, estaremos aumentando a importância do enfrentamento pelo Corinthians de um tema sensível como esse em um ambiente sabidamente machista como o futebol. Atuaremos no sentido de difundir por todas as instâncias do Clube essa doutrina para evitar ocorrências como essa e formaremos parcerias com instituições que também cuidem da ressocialização dos agressores homens para que a violência contra a mulher acabe no Brasil.

Andrés Sanchez
Presidente do Sport Club Corinthians Paulista

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.