Declaração

Jorge Veras desabafa pós-classificação do Ferrão: 'Disseram que eu era ultrapassado'

O auxiliar técnico alega que o atual vice-presidente do Leão, Ênio Mourão, foi um dos principais responsáveis pela sua saída do clube do Pici

12:07 · 20.04.2017 / atualizado às 12:08
Jorge Veras
Jorge Veras trabalhou nas categorias de base do Fortaleza por dez anos e conquistou 14 títulos. ( Foto: Arquivo )
Jorge Veras voltou a abrir a caixa de ferramentas. Em entrevista após a classificação do Ferrroviário à final do Campeonato Cearense, o auxiliar técnico cutucou dirigentes do ex-clube, o Fortaleza, rebatendo as críticas de que estaria "ultrapassado" e precisaria se "reciclar" para poder voltar a conquistar títulos. O ex-jogador alega que o atual vice-presidente do Leão, Ênio Mourão,  foi um dos principais responsáveis pela sua saída.

"Pessoas que me tiraram do Fortaleza disseram que eu estava ultrapassado. Os maiores treinadores do mundo estão acima dos 60 e eu estou na faixa dos 50. Dr. Ênio, Dr. Daniel de Paula Pessoa que falaram isso. Eu sou o ultrapassado que vim para um clube com folha de R$ 45 mil que conseguiu tirar o time deles. Um time de guerreiros. Nada contra os jogadores do Fortaleza nem com o clube do qual tenho carinho, admiração e que tenho uma história. O recado foi para os 'estudiosos' do futebol como eles falam, esses que tentaram denegrir minha imagem", desabafou.

HISTÓRIA

Jorge Veras foi artilheiro do Tubarão da Barra em 1982 e 1983. No começo de 2005, ele foi contratado para dirigir o Ferroviário. Em 2007, iniciou o trabalho nas categorias de base do Fortaleza, onde ficou por dez anos e conquistou 14 títulos. Em 2008, assumiu o time profissional, após a saída de Heriberto Longuinho.

Além disso, foi um dos ídolos do Grêmio, onde foi considerado o "Homem Grenal", devido aos vários gols sobre o rival colorado. Jorge Veras ainda passou por Criciúma, Avaí e Sport.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.