Parabéns, Tubarão!

Ferroviário completa 85 anos em busca do sonho do acesso na Série D

Time da Barra do Ceará fez bonito também na Copa do Brasil, na corrente temporada

Ferrão segue firme na luta da classificação para a próxima fase da Série D ( Foto: José Leomar )
10:16 · 09.05.2018 / atualizado às 11:22
Ao completar 100 anos de idade, Valdemar Caracas foi homenageado com um busto de bronze, eternizado no salão principal dos alojamentos da sede coral. ( Foto: Ferroviário )
Primeiro foto do Ferroviário, em 1938. Pé: José Severiano Almeida (diretor), Oscar Carioca, Procópio, Adelzirio, Dudu, Bitonho, Zeca Pinto (atacantes), Valdemar Caracas (técnico) e Alberto Gaspar de Oliveira (diretor); Agachados: Baiano, Zimba, Boinha (médios), Zé Felix e Popó (zagueiros); Sentados: Gumercindo e Puxa-faca (goleiros). ( Foto: Ferroviário )
O ano 85 do Ferroviário Atlético Clube tem um significado especial para membros e torcedores do clube. O tradicional time da Barra do Ceará está em plena luta na Série D, de volta ao Campeonato Brasileiro após vários anos. 
 
E o momento é de comemoração fora e dentro de campo. A Tubarão faz aniversário nesta quarta-feira (9) e vem de uma grande vitória fora de casa, contra o Interporto/TO. De quebra, o Ferrão virou líder do seu grupo na chave e joga, agora, para se classificar de forma mais tranquila para a fase de mata-mata. Na Série D, após a fase de grupos (pontos corridos), o time ainda tem três eliminatórias pela frente para garantir o acesso à Série C.
 
Apesar de um Campeonato Cearense e Copa do Nordeste abaixo dos objetivos, quando não conquistou vaga na Copa do Nordeste e Copa do Brasil, como fez em 2017, foi justamente no torneio nacional que o Ferrão voltou a orgulhar os seus torcedores neste ano 85. Eliminou Sport (Série A), Vila Nova (líder da Série B) e aprontou para cima do Atlético/MG (Série A), saindo na frente, em partida no Castelão, contra um time de investimento muito maior.
 
A boa campanha na Copa do Brasil rendeu ao Ferroviário uma quantia não vista há muitos anos no clube, totalizando R$ 4,3 milhões. Valor que foi em parte investido no elenco que disputa a Série D. Para isso, jogadores conhecidos como Leanderson. Edson Cariús e os destaques Esquerdinha e Mazinho desembarcaram na Barra do Ceará.
 
História repleta de superação
 
Há 85 anos, no campo do Urubu, onde atualmente se encontra a sede da Transnordestina, próximo ao cemitério São João Batista, o senhor Valdemar Caracas, à època chefe escritório de manutenção da RVC (antiga RFFSA), dava vida a um dos maiores clubes de futebol da história brasileira: o Ferroviário Atlético Clube.
 
A oficialização de uma brincadeira (racha) entre operários da antiga companhia ferrroviária, que criaram os times amadores "Jurubeba" e "Matapasto" para esperar o início das horas extras nortunas das oficinas, ganhou forma, ganhou nome, sede, uma torcida apaixonada e atravessou gerações. São 84 anos de conquistas estaduais, participações em campeonatos brasileiros e regionais. Foram 9 vezes que o time operário da Barra do Ceará chegou ao topo do futebol do Estado. Já foi também vice-campeão do Nordeste em 1971.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.