Série A

Adversário do Ceará, América-MG joga para encerrar jejum de 7 anos como visitante na elite nacional

A última vitória dos mineiros como visitante na Série A do Brasileirão foi no dia 12 de novembro de 2011, quando derrotou o Fluminense por 2 a 1, no Rio de Janeiro

América-MG joga para encerrar jejum de 7 anos como visitante na elite nacional ( Foto: Divulgação/ América MG )
09:23 · 14.05.2018 por Estadão Conteúdo
Se está com 100% de aproveitamento como mandante neste início de Campeonato Brasileiro, o América-MG ainda não somou nenhum ponto longe de seus domínios. E o desempenho ruim atuando como visitante é algo que preocupa não só a atual comissão técnica como os torcedores alviverdes.
 
A última vitória do América-MG como visitante na elite do Brasileirão foi no dia 12 de novembro de 2011, quando derrotou o Fluminense por 2 a 1, no Rio de Janeiro. Rebaixado naquele ano, o time só voltou para a principal divisão nacional em 2016, quando teve quatro empates e 15 derrotas longe dos seus domínios.
 
Para acabar com esse jejum e se manter distante da zona de rebaixamento - tem seis pontos em quatro jogos -, o América-MG entra em campo nesta segunda-feira, contra o Ceará, às 20 horas, no Castelão, pela quinta rodada. Nesta edição, fora de casa, o time perdeu para Flamengo (2 a 0) e Vasco (4 a 1).
 
"É um confronto muito difícil, mas espero que a gente consiga pontuar fora de casa. Eu falo que uma equipe só consegue ter bom aproveitamento no Brasileiro quando pontua fora de casa. É muito importante", disse o técnico Enderson Moreira.
 
O único desfalque do América-MG está na defesa. O capitão Rafael Lima foi vetado pelo departamento médico devido a uma entorse no tornozelo direito diante do Palmeiras, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, e desfalca o time após 39 jogos. O experiente Matheus Ferraz será seu substituto. Lá na frente, Aylon pode aparecer no lugar de Luan.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.